PremiumLagarde e Powell permitem inflação pontual

As autoridades monetárias pretendem continuar com a sua política acomodatícia apesar de “pontuais” subidas da inflação pós-pandemia.

O presidente da Reserva Federal dos (Fed) EUA, Jerome Powell, referiu na quarta-feira, perante o Congresso norte-americano, que as metas da inflação do banco central dos EUA não deverão ser atingidas, pelo menos, nos próximos três anos. Um sinal de que a Fed avalia o mercado numa perspetiva mais ampla e de longo prazo, e não será qualquer subida pontual da inflação no pós-pandemia que irá dificultar e abrandar o objetivo do pleno emprego. A Fed estima manter as taxas de juros inalteradas por muito tempo e têm sido fatores como este que impulsionam o mercado. Desde o estímulo fiscal, à posição dovish da Fed e os lucros do último trimestre mais fortes do que o esperado, passando pelo facto do aparecimento de mais vacinas que alavancam as cotações das empresas.

Os dados macroeconómicos relativos ao mercado de trabalho norte-americano recuperaram consideravelmente esta semana. Os pedidos de subsídios de desemprego nos EUA caíram para o valor mais baixo dos últimos três meses, corroborando alguma força relativa, ainda que ligeira, do mercado de trabalho, em linha com a economia em geral, depois de números mais fracos no final de 2020, ditados pelo agudizar da pandemia e distanciamento social.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumGrupo de trabalho faz progressos para resolver problemas do Aeroporto da Madeira

Ministério das Infraestruturas discorda das reservas apontadas pela Secretaria Regional do Turismo.

PremiumPrincipal desafio para desenvolver agroindústria é o conhecimento

Promotores de conferência para uma visão estratégica defendem que o conhecimento é a chave para desafios da sustentabilidade e produtividade.

PremiumPresidente da delegação à Comissão Parlamentar União Europeia-Sérvia: Adesão dos Balcãs à UE “não está nas prioridades de Portugal”

Em entrevista ao JE, Tanja Fajon descreve as dificuldades da abertura da União aos Balcãs Ocidentais, mas assegura que o projeto de abertura é para continuar.
Comentários