Líder da Fed diz que vacinação põe economia dos EUA perto de uma abertura total

Powell reconheceu que o ritmo rápido de vacinação nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de doses administradas diariamente, coloca o país “no caminho de uma abertura total em breve”.

O presidente da Reserva Federal (Fed) afirmou hoje, quinta-feira, que os avanços na vacinação nos Estados Unidos colocam o país “no caminho de uma abertura total da economia em breve”, mas assinalou que a recuperação ainda “é incompleta e desigual”.

“Queremos ver um conjunto de meses com relatórios sobre o desemprego como o de março (quando foram criados mais de 900 mil postos de trabalho e a taxa de desemprego caiu para 6%) de forma a que possamos avançar para os nossos objetivos”, disse Jerome Powell, num debate sobre economia global com a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, no âmbito das reuniões de primavera do FMI e Banco Mundial.

Powell reconheceu que o ritmo rápido de vacinação nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de doses administradas diariamente, coloca o país “no caminho de uma abertura total em breve”.

No entanto, reiterou que a política de estímulos monetários vai continuar por mais tempo, já que “a recuperação ainda é incompleta e desigual” com mais de 8,5 milhões de desempregados.

Sobre os receios de um possível aumento da inflação, Powell insistiu que a Fed antecipa uma subida dos preços “temporária e transitória”, considerando que “não deve ser um problema”.

O FMI reviu em alta as suas previsões de crescimento para a economia norte-americana em 2021 para 6,4%, quando em janeiro antecipava 5,1%, apontando a economia norte-americana e a chinesa como impulsionadoras da recuperação global.

Ler mais
Recomendadas

Açores deixam de exigir teste à chegada com fim do estado de emergência

Em outubro, o anterior executivo socialista promoveu a iniciativa “Voucher Destino Açores Seguro” para quem chegasse com um teste negativo, também no valor de 35 euros, que podia ser gasto em bens e serviços na região.

Vacinação diária de 100 mil pessoas “dentro de duas a três semanas”

Segundo Henrique Gouveia e Melo, a segunda fase da vacinação está a ser organizada e testada e as “indicações são positivas”, sendo necessário vacinar cerca de 100 mil pessoas diariamente, já “dentro de duas a três semanas”, para utilizar todas as vacinas que o país vai receber.

Vacinação necessita de reforço de 1.700 profissionais de saúde

Segundo o coordenador do plano de vacinação, este cálculo “já foi comunicado”, existindo diversas opções que, neste momento, “estão em cima da mesa e que estão a ser tratadas para garantir que esses profissionais de saúde estejam disponíveis” para a nova fase da vacinação no país que tem a meta de vacinar cerca de 100 mil pessoas por dia.
Comentários