Ligação aérea entre Luanda e Cabo Verde avança ainda este ano

A retoma da ligação aérea entre Luanda e Cabo Verde acontecerá ainda antes do fim do ano. O anúncio foi feito, esta sexta-feira manhã, na cidade da Praia, pelo ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, no final de um encontro com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

A retoma da ligação aérea entre Luanda e Cabo Verde acontecerá ainda antes do fim do ano. O anúncio foi feito, esta sexta-feira manhã, na cidade da Praia, pelo ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, no final de um encontro com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

“O presidente da comissão executiva da TAAG [transportadora aérea angolana] vai trabalhar com a contraparte da Cabo Verde Airlines no sentido de garantir que antes do fim do ano inicie  alguma ligação para Cabo Verde a partir de Luanda”, disse o ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu.

A materialização desta ligação está a depender de sustentabilidade e fiabilidade das operações que vierem a ser realizadas. Ricardo Viegas D’ Abreu aponta que está ser estudada as diferentes oportunidades de ligações que possam existir de Luanda para Cabo Verde, e daqui operar outros destinos, mas pensando sempre na “ sustentabilidade” e na “fiabilidade” dos voos que não podem ter interrupções.

O ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, afirma que em termos institucionais já existe disponibilidade de tirar partido daquilo que são os direitos de trafico e de transportes aéreos e que a materialização será de acordo com a decisão das equipas técnicas, dos dois países, que estão reunidas, hoje, na Cidade da Praia.

Quanta a ligação que a TAAG fazia Luanda/ Praia/São Tomé e Príncipe, suspensa porque comercialmente não ser sustentável, o Ministro Ricardo Viegas D’ Abreu diz que nada está previsto.

Para o ministro dos Transportes de Cabo Verde, José Gonçalves, a ideia é Angola, através da TAGG, aproveitar da ilha do Sal para fazer escoamento de passageiros para os quatro continentes que pretende ligar o hub aéreo, Américo do Sul e do Norte, Europa e África. “Para América do Norte, que tem um tráfico expressivo, pode-se encurtar os destinos, transportando os passageiros para vários destinos, em particular para os Estados Unidos, a partir de Cabo Verde”, apontou José Gonçalves.

A prioridade que está a ser equacionada é Sal/Luanda e depois a partir desta ilha fazer a ligação entre as duas capitais, Praia/ Luanda, avançou o ministro José Gonçalves que entende que “ sustentabilidade económica e financeira tem de ser garantida” e isso só será assegurado pelo número de passageiro com uma taxa de ocupação de pelo menos 70%.

Nesta visita de 24 horas a Cabo Verde, o ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’ Abreu, vai também discutir com o homólogo cabo-verdiano, José Gonçalves, a questão das ligações marítimas. Angola está disponível, inicialmente, para assegurar o transporte de cargas e mais tarde de passageiros para Cabo Verde, afirmou o ministro Ricardo Viegas D’ Abreu.

Ler mais
Recomendadas

Plano energético de Cabo Verde prevê penetração de renováveis de 50% até 2030

Nesta aposta em energias renováveis a baixo custo, o governo tem previsto no quadro do Orçamento do Estado para 2019 algumas medidas, uma delas, de acordo com Alexandre Monteiro, é a redução em 50% para as famílias que apostem em painéis solares.

Hotéis em Cabo Verde receberam mais de 170 mil hóspedes no terceiro trimestre

A ilha do Sal teve maior acolhimento, com 51,0% do total das entradas, seguida da ilha do Boa Vista, com 30,6%.

Governo de Cabo Verde afirma que “posição do Doing Business não reflete conjunto de medidas em curso”

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, fez o discurso de abertura da XXII edição da Feira Internacional de Cabo Verde. De entre os participantes, 61% são empresas de direito cabo-verdiano e 37% com capital português, que é “o principal país estrangeiro “presente.
Comentários