Livre senta-se entre PCP e PS, Iniciativa Liberal entre PSD e CDS-PP e Chega o mais à direita

Conferência de líderes decidiu que estes serão os lugares das três forças estreantes no parlamento na primeira sessão plenária da XIV Legislatura, ainda sem data marcada.

A deputada do Livre vai sentar-se entre PCP e PS, o deputado da Iniciativa Liberal entre PSD e CDS-PP e o deputado do Chega o mais à direita, todos na segunda fila.

A conferência de líderes decidiu que estes serão os lugares das três forças estreantes no parlamento na primeira sessão plenária da XIV Legislatura, ainda sem data marcada, que poderão depois manter-se ou não nas restantes sessões.

Por sua vez, o Partido Ecologista “Os Verdes” passa a ter um lugar na primeira fila, assim como o PAN (Pessoas-Animais-Natureza), por constituírem grupos parlamentares, respetivamente, com dois e quatro deputados.

Estas decisões foram transmitidas aos jornalistas pela porta-voz da conferência de líderes, a socialista Sandra Pontedeira, com o auxílio de um mapa do hemiciclo.

Recomendadas

Diploma do Chega sobre incompatibilidade de políticos retirado do plenário pelo Governo

Presidência da Assembleia da República avisou gabinete de André Ventura que o Executivo não autorizou o arrastamento do seu projeto de lei para ser discutido em conjunto com proposta de lei sobre contratação pública. “O Governo não achou bem o projeto e passou por cima do presidente da Assembleia da República”, protestou o deputado único do Chega.

Efacec: Estado não vai assumir responsabilidade pelas dívidas de Isabel dos Santos, garante Governo

O Executivo socialista acredita que “grande parte” da dívida da empresária angolana aos bancos que financiaram a sua entrada na Efacec (Montepio, BPI e BIC) “está perdida” porque o valor da indemnização que vai resultar da avaliação que o Governo vai fazer “não será suficiente para amortizar a totalidade dessa dívida”.

PS recomenda ao Governo tarifa social de acesso à Internet

O Grupo Parlamentar do PS pediu ao Governo para implementar a tarifa social de acesso a serviços de Internet prevista no Plano de Ação para a Transição Digital. Em tempos da pandemia da Covid-19, Socialistas consideram “imperioso” criar esta tarifa social que, à semelhança da tarifa social de eletricidade, venha a reduzir os encargos financeiros dos consumidores mais vulneráveis.
Comentários