Londres destrói um milhão de moedas comemorativas do Brexit

As moedas cunhadas para marcar o divórcio entre o Reino Unido e a União Europeia, que estava agendado para 31 de outubro, estão a ser derretidas porque Boris Johnson falhou o prazo. O custo da produção e destruição das moedas será suportado pelos contribuintes britânicos.

Andrew Boyers / Reuters

Cerca de um milhão de moedas comemorativas do Brexit estão a ser destruídas depois de o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, ter pedido um adiamento (até ao final de janeiro) da saída do Reino Unido da União Europeia, que estava agendado para 31 de outubro.

A Casa da Moeda Real britânica utilizou a moeda 50 pences (metade da libra esterlina, cerca de 60 cêntimos) para comemorar as conquistas nacionais – o que inclui, por exemplo, as Olimpíadas de Londres de 2012 –, mas a produção das moedas relativas ao Brexit teve de ser suspensa.

De acordo com a agência financeira “Bloomberg”, que avançou com a notícia, uma porta-voz da instituição confirmou ao “Daily Telegraph” que foram produzidas cerca de um milhão de moedas do dia 31 de outubro e que, agora, têm de ser derretidas. No entanto, o custo da produção e destruição das moedas será suportado pelos contribuintes britânicos.

A moeda tinha gravada a data prevista de saída do Reino Unido da UE, 31 de outubro, sob a inscrição “Paz, prosperidade e amizade entre todas as nações”, pelo que o Ministério das Finanças local ordenou a suspensão da produção à entidade emissora de moeda no Reino Unido, no final do mês passado.

Recomendadas

Conservadores de Boris Johnson terão maioria no parlamento, conclui sondagem

O estudo de opinião da YouGov aponta para que o partido ganhe 359 dos 650 lugares no parlamento britânico – o melhor resultado em mais de 30 anos.

Brexit antes do Natal: Boris Johnson promete saída antes da data

O dirigente britânico apresentou o manifesto do Partido Conservador em Telford, West Midlands, um documento de 50 páginas que é lançado a cerca de três semanas das eleições antecipadas do Reino Unido, as “mais cruciais da história moderna”, segundo Johnson.

Corbyn promete “uma posição neutra” num futuro referendo do Brexit

Num programa da BBC, na sexta-feira, Corbyn defendeu “a unidade do país e das comunidades em vez de perpetuar um debate sobre a União Europeia e o Brexit”.
Comentários