Lucros da Semapa caem 6,4% em 2019 para 124,1 milhões de euros

A empresa liderada por João Castello Branco explica que a melhoria do EBITDA dos “segmentos de cimento e outros materiais de construção (+18,5 milhões de euros) e ambiente (+2,4 milhões de euros) não foi suficiente para compensar a redução de 83,1 milhões de euros no segmento de pasta e papel”.

A Semapa registou lucros de 124,1 milhões de euros em 2019, o que representa uma queda de 6,4% (ou 8,5 milhões de euros) nos resultados líquidos atribuídos aos acionistas em relação ao ano anterior.

A empresa liderada por João Castello Branco explica que a melhoria do EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) dos “segmentos de cimento e outros materiais de construção (+18,5 milhões de euros) e ambiente (+2,4 milhões de euros) não foi suficiente para compensar a redução de 83,1 milhões de euros no segmento de pasta e papel”.

No ano passado, a Semapa viu o seu volume de negócios consolidado aumentar 1,4%, para 2.228,5 milhões de euros, em termos homólogos, de acordo com a informação transmitida esta quinta-feira ao mercado.

A ‘holding’ informou ainda que o seu EBITDA atingiu os 486,8 milhões de euros, menos 11,2% comparativamente ao ano anterior. “A margem consolidada situou-se nos 21,8%, 3,1 pontos percentuais abaixo da registada no ano anterior”, pode ler-se no relatório e contas publicado esta noite.

O grupo português fundado em 1991 anunciou, após o fecho do mercado, que as exportações e vendas no exterior ascenderam a 1.644,7 milhões de euros (um valor que representa 73,8% do volume de negócios).

No documento divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Semapa refere que no último dia de dezembro de 2019, a dívida líquida consolidada do grupo era de 1.470,7 milhões de euros, menos 81 milhões de euros face ao valor apurado no final do exercício de 2018.

Ler mais
Recomendadas

Lucros do Bankinter caíram 42% para 317 milhões em 2020

O resultado líquido do Grupo Bankinter em 2020 foi de 317,1 milhões de euros, menos 42,4% do que em 2019, devido a 242,5 milhões de provisões Covid-19. Em Portugal resultado cai 31%, mas o crédito subiu 7% e os recursos 6%.

Desafios aos quais as organizações devem responder

É importante que os líderes atuem como agentes de mudança e articulem claramente as vantagens para a elevada satisfação no trabalho, incluindo a formação das chefias nas suas responsabilidades essenciais.

“Mercados em Ação”. “Vitória de Joe Biden nos EUA vai ajudar muito a EDP”

Na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio, analisou os desafios do novo CEO da EDP, Miguel Stilwell, escolhido esta semana para gerir os destinos da elétrica até 2023.
Comentários