Lucros do BNU em Macau sobem para 83 milhões de euros em 2019

Em relação a igual período de 2018, os lucros do Banco Nacional Ultramarino, do grupo Caixa Geral de Depósitos, subiram cerca de 23%.

O Banco Nacional Ultramarino (BNU) em Macau registou em 2019 lucros de 721,9 milhões de patacas (cerca de 83 milhões de euros), de acordo com o balancete publicado no Boletim Oficial.

Em relação a igual período de 2018, os lucros do BNU, do grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD), subiram cerca de 23%.

De acordo com o documento de 31 de dezembro passado, o BNU indicou proveitos de 1,679 mil milhões de patacas (cerca de 194 milhões de euros) e custos de 958 milhões de patacas (cerca de 111 milhões de euros).

No final do mês de janeiro, a CGD indicou que o BNU de Macau contribuiu com 69 milhões de euros para o resultado líquido de 776 milhões de euros, em 2019.

No primeiro semestre do ano passado, o BNU obteve lucros de 366,8 milhões de patacas (cerca de 42,2 milhões de euros).

Em 2018, o BNU tinha registado uma descida de 17% nos lucros, para 585 milhões de patacas (67,3 milhões de euros).

O BNU é, juntamente com o Banco da China, banco emissor de moeda em Macau, e conta atualmente com 20 agências, incluindo uma na ilha da Montanha, em Zhuhai, cidade chinesa adjacente ao território.

Ler mais
Recomendadas

Bancos tinham 31,3 mil milhões em dívida portuguesa no primeiro trimestre

Os bancos em Portugal viram a rentabilidade cair para mais de metade num ano, segundo os dados de março do Banco de Portugal, refletindo o impacto da pandemia de Covid-19 no que respeita ao aumento do fluxo líquido de provisões e de imparidades.

CGD nomeia novo administrador não executivo

Com um currículo com predominância na Engenharia de Sistemas e Computadores, e especialista na área digital, Arlindo Oliveira é o novo administrador da Caixa Geral de Depósitos.

Banco de Inglaterra prevê recuperação mais lenta da economia e não muda taxas de juro

A entidade anunciou também que não fará com qualquer alteração na taxa de juro que permanecerá nos 0,1%, mantendo também inalterado o seu programa de compra de títulos no valor de 822 mil milhões de euros.
Comentários