Lufthansa vai cortar mil empregos administrativos e reduzir novas aeronaves a metade

Como parte do plano de reestruturação, a companhia aérea anunciou que os cortes nos postos de trabalho vão incluir também os cargos administrativos e de gestão.

A transportadora alemã Lufthansa anunciou, esta terça-feira, novas medidas do seu plano de reestruturação que incluem uma redução de 20% nos cargos de direção e a redução de mil postos de trabalho nos serviços administrativos.

De acordo com a notícia avançada pela “Reuters”, a decisão vem depois da Lufthansa ter adotado um plano de reestruturação da empresa que inclui também uma redução para metade da sua lista de compras de novos aviões, uma lista que até agora incluía a compra de cerca de 80 aeronaves até 2023. Entre os quase 200 aparelhos que estavam encomendados, contam-se 61 Airbus A320neos, 35 A321neos, 27 A350-900s, 20 Boeing 777-9s e 20 787-9s.

Para além do corte de mil postos de trabalhos administrativos, o grupo alemão vai avançar com uma redução da força de trabalho de 22 mil empregos num universo de cerca de 138 mil trabalhadores em todo o mundo.

Em junho, os acionistas da Luftansa aprovaram um pacote de ajuda da ordem dos 9 mil milhões de euros do governo. O colapso da empresa foi, assim, evitado depois de 98% dos detentores de capital terem votado (online) a favor do plano que permitirá que Berlim passe a ter participação de 20% e dois lugares no conselho de administração da transportadora área.

Recomendadas

Assista agora à JE editors Talks: Energia Solar

Assista agora e conheça o potencial português na área da energia solar e saiba que importância esta terá no futuro do fornecimento de energia nacional.

Lucros do Grupo Crédito Agrícola caem 33% no primeiro semestre para 50 milhões de euros

As imparidades constituídas de 391 milhões de euros penalizaram o resultado líquido consolidado do Crédito Agrícola no primeiro semestre de 2020.

Regulador aprova alteração de marca da EDP Distribuição para E-REDES

Em comunicado, o regulador refere que a alteração da imagem e denominação da gestora das redes de distribuição de energia “será implementada de forma gradual, por forma a assegurar a neutralidade de custos para os consumidores de eletricidade”.
Comentários