Madeira: António Costa mostra convicção em vitória no Funchal

O primeiro-ministro e secretário-geral do PS referiu que o Governo atribuiu 5% das verbas do PRR à região apesar da região ter 2,5% da população, e que no Portugal 2030 a Madeira terá um aumento de 34% nas verbas quando comparadas com o quadro de apoio anterior.

O primeiro-ministro e secretário-geral do PS, António Costa, esteve na Madeira, tendo aproveitado para expressar a sua convicção na vitória no Funchal, onde os socialistas fazem parte de uma coligação, a Coligação Confiança (PS, BE, MPT, PAN, PDR), liderada pelo atual presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Gouveia.

Num comício no bairro da Quinta Falcão, apelou à mobilização, acrescentando que “se há algo fundamental quando se está a sair da crise, é confiança no presente para termos confiança no futuro que vamos construir”, reforçando que com “Miguel Gouveia e a Confiança, o Funchal continuará a ir para a frente, ajudando a Madeira a crescer e Portugal a ser melhor”.

António Costa disse ainda que o Governo atribuiu 5% das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) à Região Autónoma da Madeira apesar da região ter 2,5% da população nacional, mas sublinhou que cabe aos Governos Regionais decidirem como vão aplicar essas verbas.

“Não vale a pena ameaçarem-me com a Comissão Nacional de Eleições (CNE), porque eu não tenciono vir aqui fazer a propaganda do Governo Regional a dizer onde é que decidiu investir os 697 milhões de euros que são atribuídos à Região Autónoma da Madeira”, disse António Costa.

O secretário-geral do PS disse ainda que no Portugal 2020, a região recebeu 666 milhões de euros, e que no ‘Portugal 2030 vai receber 896 milhões de euros, tendo adiantado que o Governo já pagou mais três milhões de euros para a obra do novo Hospital e que “pagará os 50% de tudo o que tiver que pagar”.

Costa apela ao voto para reforçar poder local

António Costa apelou, durante um jantar com os candidatos socialistas, na região, à mobilização de todas na última semana de campanha, para as autárquicas, de modo a garantir a vitória do PS e também da Coligação Confiança no Funchal.

“O PS é um grande partido nacional, é o único partido português que tem autarquias locais em todas as regiões do País. A democracia é mais rica, mais viva e mais participada com a autonomia regional, mas também com a autonomia do poder local democrático. Até ao último dia da campanha eleitoral, temos de ir falando com todos para quem vão votar e votem bem”, afirmou.

António Costa apelou ao voto de modo a que o PS “continue a reforçar o poder local democrático”.

O secretário-geral do PS disse também que a região no Portugal 2030 terá um aumento de 34% nas verbas, tendo evidenciado a solidariedade do Estado, reforçando que se trata de um direito das regiões autónomas devido à sua condição ultraperiférica. “A solidariedade não se agradece, porque a solidariedade é um dever. A direita acredita na caridade, nós acreditamos na solidariedade”, afirmou.

Recomendadas

Carlos Moedas toma posse como presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Veja em direto

O antigo comissário europeu sucede a Fernando Medina na liderança da Câmara Municipal de Lisboa. Veja a tomada de posse em direto.

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.
Comentários