Madeira: BE lamenta que Governo não tenha requisitado hospitais e clínicas privados na pandemia

O BE Madeira refere que “é conhecido o atraso nas cirurgias, nas consultas e em outros atos, com a prioridade dada à covid-19 ficaram ainda mais atrasados. Os doentes não covid-19 não podem ficar esquecidos e é criminoso não usar todos os meios disponíveis para atender a essas pessoas”.

O BE Madeira lamentou que o Governo Regional não tenham recebido a proposta dos bloquistas que previa a requisição dos serviços dos hospitais e clínicas privados, sob o estado de emergência, de modo a que estes fossem integrados na prestação de cuidados de saúde na pandemia.

“É conhecido o atraso nas cirurgias, nas consultas e em outros atos, com a prioridade dada à covid-19 ficaram ainda mais atrasados. Os doentes não covid-19 não podem ficar esquecidos e é criminoso não usar todos os meios disponíveis para atender a essas pessoas”, refere o BE Madeira.

Os bloquistas vincam que esta medida foi aplicada no território nacional, e sublinham que o facto da Região Autónoma da Madeira não ter avançado com a requisição do privado “revela que para os governantes os negócios na saúde contam mais que as vidas dos cidadãos”.

O BE Madeira acrescenta que se se pode retirar alguma lição da pandemia “é que os serviços públicos de saúde são fundamentais, precisam de ser valorizados, pois são a única forma de assegurar cuidados de saúde a todas as pessoas e em particular em contextos de emergência”.

Recomendadas

Madeira: PS pede a Rui Barreto e CDS-PP esclarecimentos sobre alegado financiamento ilegal

Os socialistas madeirenses consideram que os factos denunciados num trabalho da SIC são “graves e colocam em causa a ética e a transparência” exigidas a responsáveis políticos. O PS Madeira reforçam que é preciso um esclarecimento “imediato, cabal e rigoroso sobre o relacionamento entre o principal financiador do Chega e o líder do CDS-PP Madeira”.

Presidente da Assembleia da Madeira apela a partidos para “não inquinarem trabalhos parlamentares” por causa das autárquicas

O presidente da Assembleia da Madeira afirmou que “a Assembleia Legislativa é o primeiro órgão de Governo próprio. Existe para discutir as grandes questões regionais e não para discutir questões municipais ou para fazer campanha eleitoral”.

Madeira regista 20 casos positivos e 14 recuperados de covid-19

A Madeira tem 314 casos ativos de coronavírus, 22 são importados e 292 de transmissão local. Existem 84 situações em estudo pelas autoridades de saúde.
Comentários