Madeira: CDU quer combater clientelismo e erradicar uso corrupto de dinheiros públicos

O partido diz que foram utilizados dinheiros públicos para alimentar redes clientelares do regime, acrescentando que o fracasso de vários projetos serviu apenas para “promover o favorecimento” dos amigalhaços do regime.

A CDU comprometeu-se a combater o clientelismo e a erradicar o uso corrupto de dinheiros públicos. O partido referiu que em certos projetos não foi feita a salvaguarda do interesse público, tendo-se esbanjado dinheiro para alimentar as redes clientelares do regime.

“A falência técnica da “Sociedade Polo Científico e Tecnológico – Madeira Tecnopolo, SA”, o fracasso do programa “Inteligência Conectiva”, a insolvência da DTIM (Associação para o Desenvolvimento das Tecnologias da Informação da Madeira), correspondem às maiores falências da Autonomia. Aqueles projetos, que foram apontados pelos governantes como viabilizadores do desenvolvimento económico, científico e tecnológico da Região, não só correspondem a erradas opções do desenvolvimento regional, como se confundem com a falência do modelo de desenvolvimento incrementado pelo regime”, afirmou Edgar Silva, candidato da CDU Madeira às eleições regionais, durante uma acção de campanha eleitoral no Madeira Tecnopolo.

Edgar Silva sublinhou que foram esbanjadas dinheiros públicos para alimentar redes clientelares do regime, e que o fracasso desses projetos serviu apenas para “promover o favorecimento” dos amigalhaços do regime.

“Os governantes que são responsáveis pelo fracasso dos projetos em causa usaram corruptivamente os dinheiros públicos”, reforçou.

Edgar Silva disse ainda que nesses projetos não foi feita a salvaguarda do interesse público, e que o fracasso dos mesmos projetos justifica uma mudança de rumo para a autonomia.

Recomendadas

Funchal apresenta programa de comemorações para o Dia da Cidade

O habitual concerto do Dia da Cidade 2020 foi idealizado tendo por base a participação de artistas locais, de forma a apoiar a produção regional, num cruzamento entre a modernidade e a tradição.

Orçamento Suplementar da Madeira publicado em Diário da República

O documento estabelece um reforço de 287,7 milhões de euros face ao valor aprovado no Orçamento Regional para 2020, passando assim de 1,7 milhões de euros para dois milhões.

PS-Madeira defende obrigatoriedade do consumo de produtos regionais nas escolas

“Quando temos refeições num dia para um aluno na ordem de 1,45 euros, percebe-se a forma como todo este processo é montado, acabando por excluir os produtos regionais dos menus dos nossos estudantes”, frisou Victor Freitas.
Comentários