Madeira: “Não vou acabar com recolher obrigatório nenhum”, afirma presidente do Governo Regional

O presidente do Governo da Madeira disse que o recolher obrigatório é para se manter bem como o horário de encerramentos dos estabelecimentos. Albuquerque sublinhou que se está num estado de calamidade e em plena pandemia, para justificar a manutenção destas medidas que visam evitar a contaminação por Covid-19.

Paulo Cunha/Lusa

A Madeira deve manter o recolher obrigatório, de acordo com o presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, mesmo que a nível nacional se decida acabar com o recolher obrigatório, e que essa hipótese seja sugerida na reunião do Infarmed, marcada para esta terça-feira.

“Vamos manter o recolher obrigatório, o encerramento dos estabelecimentos à hora determinada, e evitar os ajuntamentos, e as parvoíces que se têm passado nos últimos tempos”, foi assim que Albuquerque anunciou a manutenção do recolher obrigatório das 01h00 às 05h00 da madrugada na região autónoma.

“Não vou acabar com recolher nenhum, estamos num estado de calamidade, e vamos cumprir os horários porque estamos em plena pandemia”, reforçou o governante.

A Madeira tem 234 casos ativos de coronavírus, e sete pessoas internadas devido à Covid-19, todas elas em unidades polivalentes, de acordo com os dados da Direção Regional de Saúde (DRS).

Recomendadas

PS está na “posição ingrata” em que “todos lhe batem”, diz António Costa

Segundo o líder socialista, “a realidade” é que, “em cada um dos concelhos, a escolha é sempre uma, ou é o PS e as coligações PSD/CDS-PP ou é o PS e a CDU”.

“Maquiavel para Principiantes”. “Em vez do cartão amarelo ao Governo, podemos ter cartão vermelho ao líder da oposição”

“Mais importante do que bazucas, metralhadoras, helicópteros ou outro tipo de arsenal, há mais pessoas a acreditar numa vitória do PS do que num triunfo do PSD. Nestas eleições faz-se sentir muitas vezes o cartão amarelo ao Governo mas o que parece é que se está a preparar um cartão vermelho ao líder da oposição”, realçou Rui Calafate na edição desta semana do podcast do JE.

Portugal tem 83% da população totalmente vacinada contra a Covid-19

DGS contabiliza mais de 8,8 milhões de pessoas (86%) no país com pelo menos uma dose.
Comentários