Madeira: Número de trabalhadores e ganho médio mensal cresceram em 2019

O ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem em 2019 situou-se nos 1.130 euros, superando 1.096 do ano anterior.

Os dados da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) dizem que em 2019 o número de trabalhadores cresceu 0,5% e o ganho médio mensal 3,1% face ao ano anterior na Região Autónoma da Madeira.

O concelho do Funchal contempla 65,5% dos 47,8 mil trabalhadores por conta de outrem a tempo completo e com remuneração completa, Santa Cruz tem 10,6%, Machico 5,2% e Câmara de Lobos 5,1%, sendo que estes são os concelhos que concentram o maior número de trabalhadores.

Do lado oposto encontram-se os municípios da costa Norte da ilha da Madeira, mais concretamente o concelho do Porto Moniz, com 0,5%, Santana com 1% e São Vicente com 1,1%.

Face a 2018 é de destacar o aumento de trabalhadores na Ponta do Sol, que teve mais 13,8%, e São Vicente, com mais 10,7%. O Porto Moniz teve menos 12,2% e Santa Cruz menos 6,6%, sendo que estes foram os municípios que apresentaram as maiores reduções.

O ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem em 2019 situou-se nos 1.130 euros, superando 1.096 do ano anterior.

Considerando a distribuição dos trabalhadores por conta de outrem por setor de atividade, observa-se que o setor terciário foi o que assumiu maior expressão, ocupando 79,8% do total do pessoal ao serviço em 2019, tendo apresentado uma redução de 0,1% face a 2018.

O setor secundário continua a revelar-se menos empregador do que o setor terciário, com apenas 19,2% do total de trabalhadores, apesar de registar um acréscimo de 2,4% em relação a 2018. Por sua vez, o setor primário, com apenas 1% dos trabalhadores por conta de outrem, registou um acréscimo anual de 12,8%.

Comparativamente a 2018, o peso do sector secundário aumentou 0,4 pontos percentuais (p.p.), enquanto o sector terciário apresentou uma redução de 0,5 p.p. e o sector primário um aumento de 0,1 p.p..

Recomendadas

Covid-19: Açores exigem teste negativo à chegada a passageiros do estrangeiro

Quanto aos passageiros provenientes do continente ou da Madeira, vão ter de apresentar o certificado digital de vacinação ou recuperação da Covid-19 ou, no caso de não terem nem um nem outro, um teste negativo realizado até 72 horas antes do embarque para os Açores.

Covid-19: Albuquerque considera desnecessário aplicar medidas do continente (com áudio)

Desde 27 de novembro, segundo uma resolução do executivo madeirense, pode ser exigido na região teste antigénio negativo, com validade semanal, em alguns casos cumulativamente com certificado de vacinação contra a Covid-19, para acesso a vários espaços abertos e fechados, como restaurantes e ginásios.

Câmara do Funchal disponibiliza testes de antigénio a comerciantes do Mercado dos Lavradores

A testagem será feita através do protocolo já existente com os Serviços Médicos de Urgência, que compreende um stand de testes de antigénio aos visitantes do Mercado dos Lavradores.
Comentários