Madeira: Parque Empresarial da Ribeira Brava vai acolher dois novos projetos de investimento

Trata-se da Uau Cacau, uma empresa que transforma chocolate, e de uma outra empresa que produz e exporta bebidas cujo nome não foi revelado.

O presidente da Madeira Parques Empresariais (MPE), Gonçalo Pimenta, reuniu-se, na passada quarta-feira, com o edil da Ribeira Brava, Ricardo Nascimento, onde anunciou que o Parque Empresarial da Ribeira Brava vai acolher dois novos projetos de investimento.

“Num momento de grandes constrangimentos sociais e económicos, o que nós viemos aqui transmitir é algo positivo para o Município da Ribeira Brava”, disse Gonçalo Pimenta, referindo-se aos dois novos projetos de investimento no parque empresarial do concelho. Trata-se da Uau Cacau, uma empresa que transforma chocolate, e de uma outra empresa que produz e exporta bebidas cujo nome não foi revelado.

“De janeiro até agora já temos quatro negócios efetuados para o concelho da Ribeira Brava dentro do parque empresarial. Isto só foi possível por esta sinergia”, sublinhou.

Em cima da mesa estiveram vários assuntos, nomeadamente, o reconhecimento por parte do município do interesse municipal nas aquisições de imóveis para o Parque Empresarial da Ribeira Brava, a articulação entre a MPE e a Câmara Municipal para a realização ações conjuntas de sensibilização junto do tecido empresarial, com o objetivo de alertar para a importância de deslocalizar empresas que estejam em situações ilegais ao abrigo do novo PDM (Plano Diretor Municipal) e a prospeção de novos investimentos para o parque empresarial sedeado no concelho.

Gonçalo Pimenta realçou a estratégia de “consolidação e solidificação” de empresas no Parque Empresarial da Ribeira Brava, fruto de um trabalho conjunto que tem sido levado a cabo pela Madeira Parques Empresariais e pela Câmara da Ribeira Brava. Um município que, nas palavras do presidente da MPE, é “amigo do investimento”.

A MPE em parceria com o município, está a sensibilizar as empresas que se encontram em zonas ilegais para se deslocalizarem para o parque empresarial. Uma das vantagens para a deslocalização, recordou Gonçalo Pimenta, é a isenção taxas de licenciamento para as obras de construção e utilização de edifícios a erigir no Parque Empresarial.

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Nascimento, congratulou-se com os dois novos investimentos no concelho, salientando que “esta dinamização de criação de postos de trabalho são cruciais principalmente nesta fase que estamos a viver”. Neste sentido destacou que os prazos de análise dos processos têm vindo a ser reduzidos.

“Da parte do gabinete técnico vamos dar a maior celeridade possível a esses projetos. Temos sempre a porta aberta ao investimento”, concluiu Ricardo Nascimento.

Recomendadas

Equipamentos de aquecimento mais eficientes: quais os benefícios?

Referimo-nos a benefícios adicionais como o conforto térmico, a qualidade do ar, a redução do impacte ambiental ou a valorização do imóvel, cuja não consideração pode levar a que se subestime o real valor de melhorar o seu sistema de aquecimento.

Açores tem primeira loja Pingo Doce a partir de quarta-feira

A nova loja, que conta com uma equipa de 31 colaboradores, inclui um espaço de take away com comida fresca confecionada diariamente, uma área de café e bolos, venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, além das tradicionais seções de talho, peixaria, frutas e legumes e padaria e pastelaria.     

Madeira: Governo Regional vai investir 136 milhões de euros na habitação a custos controlados

O CDS considera o investimento na habitação por parte do Executivo madeirense como uma medida crucial para responder à “dificuldade” das famílias e sobretudo dos casais mais jovens, em encontrar habitação quando os preços do mercado e as rendas são “muito elevados” atualmente.
Comentários