Madeira: PCP propõe gabinete para micro e pequenas empresas acederem a medidas de apoio ao coronavírus

Os comunistas madeirenses alertam que o acesso aos apoios às empresas, que foram decretados pelos governos, requerem um conjunto de actos burocráticos que muita micro e pequenas empresas da região não vão ter condições humanas e técnicas para poder concretiza-las e para aceder aos referidos apoios.

A Assembleia Legislativa da Madeira deve discutir esta semana um projeto de resolução, do PCP, que visa criar um gabinete de apoio aos empresários de modo a garantir acesso aos apoios disponíveis no âmbito do coronavírus covid-19.

No projeto de resolução os comunistas manifestam preocupação com as quebras de facturação apresentadas pelas empresas devido à pandemia do coronavírus, que obrigou a várias medidas de contenção decretadas pelos diversos governos quer fossem regionais como nacionais.

“Empresas viáveis, com boas contas e perspetivas de crescimento podem ser o seu percurso posto em causa por razões externas e fora do seu controlo”, referem os comunistas.

Os comunistas defendem que é preciso preservar estas empresas e os postos de trabalho.

O partido alerta que o acesso aos apoios às empresas, que foram decretados pelos governos, requerem um conjunto de actos burocráticos que muita micro e pequenas empresas da região não vão ter condições humanas e técnicas para poder concretiza-las e para aceder aos referidos apoios.

Os comunistas dizerem ainda que “não é admissível” que os apoios anunciados sejam efectivamente entregues apenas às grandes empresas por terem uma maior capacidade de responder às exigências burocráticas para aceder aos apoios. O partido acrescenta que é necessário salvaguarda mecanismo de salvaguarda dos interesses das micro e pequenas empresas e dos seus postos de trabalho.

Ler mais
Recomendadas

Que fatores deve considerar se contratar um seguro contra sismos

As seguradoras para estabelecerem o valor concreto do contrato calculam os dados através da utilização de uma tabela que classifica cada concelho do país e regiões e que as organiza por cinco escalões. Perante um risco elevado, muitas seguradoras recusam até mesmo efetuar um contrato deste calibre, pois apresentam fortes indícios de perda financeira.

Orçamento Suplementar da Madeira prevê mais 296 milhões de despesa

A previsão para as despesas correntes é de 1,4 mil milhões e de 609 milhões de euros para as despesas de capital.

Orçamento Suplementar da Madeira prevê mais 296 milhões de euros de receita

A proposta de Orçamento Suplementar, em termos de receitas, sobe de 1,7 mil milhões de euros para os dois mil milhões de euros, quando comparado com o Orçamento Regional.
Comentários