Madeira pede apoio extraordinário de 300 milhões de euros ao Estado

A Madeira pediu também ao Estado uma autorização para endividamento líquido adicional de 100 milhões de euros e uma moratória para capital e juros sobre o Plano de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF) que beneficiariam a região em 96 milhões de euros até janeiro de 2021.

A Madeira pediu ao Estado que crie uma linha específica para a Madeira no valor de 300 milhões de euros. Foi requerida ainda uma autorização para endividamento líquido adicional de 100 milhões de euros. A isto juntam-se mais medidas que visam suportar os cidadãos e empresas da região de modo a fazer o relançamento da economia dentro de três meses e minimizar os efeitos causados pelo coronavírus Covid-19, de acordo com Pedro Calado, vice-presidente do Governo Regional.

Para além da linha de crédito de 300 milhões de euros, e dos 100 milhões de euros adicionais de endividamento, a região também apelou ao Estado que os 75 milhões de euros, que já têm o aval do Estado, e que estão incluídos no Orçamento, pudessem linha ser utilizados pela saúde e pelas empresas. Este apelo por enquanto ainda não teve resposta, disse o governante.

O Governo da Madeira pediu ainda uma moratória para capital e juros que incida sobre o Plano de Ajustamento Económico e Financeiro (PAEF). “A linha de apoio beneficiaria a Madeira em 48 milhões de euros em julho e mais 48 milhões em janeiro de 2021, entre capital e juros”, explicou o governante.

Pedro Calado confirmou que têm existido contactos frequentes entre a vice-presidência do Governo Regional da Madeira com o Ministério das Finanças e o secretário de Estado das Finanças, e também entre o presidente do Governo Regional, representante da República, primeiro-ministro e presidente da República.

Relacionadas

Madeira pede suspensão imediata da Lei das Finanças Regionais

O Governo da Madeira estima que até setembro o coronavírus cause um impacto negativo na economia superior a 580 milhões de euros. O executivo quer recorrer ao mercado e reverter esse apoio para cidadãos e empresas. “Estamos num período de guerra sem armas. Nestes períodos não podemos estar preocupados com défice, limites de dívida, nem contração de dívida”, disse Pedro Calado, vice-presidente do Governo da Madeira.

Coronavírus: linha de emergência social da Madeira deve estar disponível em abril

O vice-presidente do Governo da Madeira disse que pediu ao Governo da República que reserva-se uma verba de sete milhões de euros, específica para a região, inseridas nas linhas nacionais de apoio às empresas que têm vindo a ser anunciadas.

Coronavírus: conheça as novas medidas de apoio para as empresas

Entre as medidas de apoio às empresas está uma linha de apoio para a tesouraria das empresas no valor máximo de 100 Milhões de Euros, que terá bonificação da taxa de juro de 0% e carência de capital de 12 meses.
Recomendadas

Madeira atinge os 50 casos positivos de coronavírus

Esta semana termina a quarentena obrigatória para um primeiro grupo que cumpre o isolamento em unidade hoteleira. Neste sentido, foram já realizados 27 testes de rastreio à Covid-19 que aguardam resultado.

Cartões contactless com novo limite de 50 euros

Esta medida surge no âmbito da pandemia da COVID 19, procurando assim o Governo alargar e manter as recomendações de distanciamento social, incentivando-se os pagamentos “sem contacto”.

Linha de apoio a empresas da Madeira de 100 milhões de euros tem acesso universal

O início da operação será entre 20 e 24 de abril, e o período de vigência até 31 de dezembro de 2020. Se existir quebra de faturação de 40% e se as empresas mantiverem os postos de trabalho no período de carência de 18 meses o apoio transforma-se em fundo perdido.
Comentários