Madeira: PS diz que economia está parada e que apoios anunciados pelo Governo não foram a fundo perdido

O PS diz que as linha de apoio a fundo perdido, de 100 e 20 milhões de euros, anunciadas pelo Governo Regional, constituíram-se como empréstimos da banca. Os socialistas referem que os dois milhões de euros do Adaptar+ foram esgotados, abrangendo 1084 empresas, e deixando de fora 30 mil empresas.

Créditos: Élvio Fernandes

O PS diz que a economia regional está parada, com agentes económicos em desespero, e com perspetivas de aumento de desemprego. O deputado socialista, Sérgio Gonçalves afirmou, na sessão plenária que decorre na Assembleia da Madeira, que “não houve atribuição de fundo perdido”, tal como tinha sido anunciado pelo Governo Regional, e que este só se concretiza depois de 18 meses se se mantiver postos de trabalhos.

O socialista disse ainda que as linhas de apoios anunciadas pelo Governo Regional, de 100 milhões de euros, e depois de 20 milhões de euros, implicam aval pessoal do empresário, e constituíram-se como empréstimos da banca.

Sérgio Gonçalves disse mesmo que essas linhas de apoio de 100 e 20 milhões de euros não foram incluídas no Orçamento Retificativo.

O deputado do PS referiu ainda outros programas de apoio como o Adaptar+, de dois milhões de euros, que ficou esgotada, abrangendo 1084 empresas, e com uma média de 2.300 euros.

“30 mil empresas ficaram de fora”, afirmou Sérgio Gonçalves.

O deputado disse que “só a hotelaria tem 10 milhões de euros de massa salarial mensal”. Sérgio Gonçalves sublinhou que as empresas “vivem já grandes dificuldades”, e que o resultado pode ser “mais insolvência e desemprego”.

Quanto ao Funcionamento, o deputado socialista diz que se concederam sete milhões de euros de apoios, nesta fase difícil para a economia regional, quando antes atingiam os 12 milhões de euros.

O socialista pediu ações e medidas concretas e criticou a rejeição de várias propostas que têm sido apresentadas pelo PS, pela maioria da Assembleia da Madeira.

Ler mais
Recomendadas

Zona Franca da Madeira: Bloco diz que decisão de Bruxelas põe em causa a capacidade da Autoridade Tributária nacional e regional de exercerem fiscalização

O Bloco quer ouvir com urgência no Parlamento o Governo depois de Bruxelas concluir que a “aplicação do regime de auxílios da Zona Franca da Madeira em Portugal” não cumpre as regras europeias. O BE deixa críticas à falta de fiscalização por parte da Autoridade Tributária central e da AT da Região Autónoma da Madeira. “A Zona Franca da Madeira continuou a ser utilizada para esquemas de planeamento fiscal agressivo”, disse a deputada Mariana Mortágua. Governo regional e a sociedade que gere a Zona Franca discordam das conclusões de Bruxelas.

39 estabelecimentos de ensino do Funchal distinguidos com bandeira Eco-Escolas

O programa Eco-escola tem por objetivo reconhecer o trabalho realizado pelos estabelecimentos escolares em benefício do ambiente.

Madeira atinge recorde diário de casos positivos de covid-19

A Madeira tem 226 casos ativos de coronavírus, 42 importados e 184 de transmissão local.
Comentários