Madeira: PS pede maior divulgação da língua portuguesa na diáspora

O deputado Olavo Câmara lembrou, na Assembleia da República, a instabilidade vivida na Venezuela, que tem provocado o regresso de muitos emigrantes. O socialista sublinhou que muitos desses lusodescendentes, que voltam à Madeira até têm formação de nível superior, mas o facto de não falarem português tem causado algumas dificuldades na sua integração na sociedade e na entrada no mercado de trabalho.

O deputado do PS, eleito pelo círculo da Madeira, para a Assembleia da República, Olavo Câmara, apelou a uma maior divulgação da língua portuguesa nas comunidades portuguesas na diáspora, preparando melhor os emigrantes para um eventual regresso ao seu país de origem.

Durante uma intervenção na Comissão dos Negócios Estrangeiros, durante uma audição ao presidente do Instituto Camões, o socialista reconheceu o papel desempenhado pela instituição na afirmação da língua portuguesa.

O socialista lembrou a instabilidade vivida na Venezuela, que tem provocado o regresso de muitos emigrantes. Olavo Câmara sublinhou que muitos desses lusodescendentes, que voltam à Madeira até têm formação de nível superior, mas o facto de não falarem português tem causado algumas dificuldades na sua integração na sociedade e na entrada no mercado de trabalho.

Olavo Câmara defendeu que é preciso responder a isto na origem, ou seja em países como a Venezuela. O socialista acrescentou que o Instituto Camões “tem de ter um papel ainda mais abrangente, no sentido de fazer chegar o Português a mais gente”.

Recomendadas

Madeira administra mais 9.723 vacinas contra a covid-19

Já foram administradas na Madeira 69.737 vacinas contra o coronavírus. 50.269 correspondiam à primeira dose e 19.468 à segunda dose. Isto equivale a 19,8% e 7,7% de pessoas vacinadas.

“A EEM sempre apostou na maximização da produção de energia renovável”

A Empresa de Eletricidade da Madeira diz ainda que a componente da autoprodução é “uma parte da solução” de maximização da produção de eletricidade de origem renovável, proporcionando mais valias para os autoprodutores e uma redução da dependência energética do exterior”, referindo-se ao regime jurídico relativo ao autoconsumo de energia renovável.

Madeira regista mais 17 casos positivos e 48 recuperações de covid-19

A Madeira tem 281 casos ativos de coronavírus, 21 são importados e 260 de transmissão local. Existem 48 situações em estudo pelas autoridades de saúde.
Comentários