Madeira: Rui Barreto sublinha “momento histórico” na assinatura do acordo de Governo entre PSD e CDS

Rui Barreto destacou que a principal preocupação não foi a discussão de lugares, mas sim as orientações programáticas, para que fosse possível “criar pontes” em todas as áreas.

O líder do CDS-PP Madeira, Rui Barreto, sublinhou esta terça-feira, aquando da assinatura do acordo de governo entre o PSD e o CDS, cerimónia que se realizou no Museu de Imprensa, em Câmara de Lobos, que este é “um momento histórico” na governação da Região.

“O governo que daqui sairá terá de ser maior do que a soma aritmética dos dois partidos. A partir do momento em que for empossado será o governo de todos os madeirenses”, referiu, salientando que este governo tem como bandeira a afirmação e o aprofundamento da autonomia.

Rui Barreto destacou que a principal preocupação não foi a discussão de lugares, mas sim as orientações programáticas, para que fosse possível “criar pontes” em todas as áreas.

“Ficarei confortável depois da assinatura deste acordo com aquilo que for o Governo da Madeira e os lugares que forem distribuídos na Assembleia da República”, disse.

“Não havendo acordos perfeitos, o documento que hoje assinamos é fruto do trabalho do PSD e do CDS, que não abdicando das suas convicções mais profundas conseguiram encontrar pontos de convergência suficientes para criar regras de relacionamento claras e sobretudo para apresentar aos madeirenses um programa exequível, mobilizador e transformador”.

O líder do CDS regional afirmou ainda as prioridades do programa, entre elas a defesa da economia regional, “aquém e além mar, contra o centralismo asfixiante da política de Lisboa”.

Ler mais
Recomendadas

PS Madeira anuncia entendimento para região se endividar até 500 milhões de euros

O deputado do PS na Assembleia da Madeira, Paulo Cafôfo, diz que esta medida é o resultado das “diligências” do PS/Madeira junto ao Governo da República, “sem gritaria, nem confronto permanente”.

PS critica Governo da Madeira por não ter estratégia para valorizar produção primária local

Os socialistas madeirenses dizem que o Decreto Legislativo Regional, aprovado pela Assembleia da Madeira, não salvaguarda requisitos que garantam “a autenticidade dos produtos e que valorizem quer a produção regional, quer os agricultores e produtores de sidra e vinagre de sidra da Madeira”.

Albuquerque diz que seria incompreensível se Assembleia da República não aprovasse propostas da Madeira para fazer face à pandemia

Em causa está o adiamento de duas prestações referentes do empréstimo concedido pelo Governo Nacional à Madeira, e ainda uma autorização para que a Madeira faça uma operação de endividamento no valor de 300 milhões de euros.
Comentários