Madeira: Sindicato dos professores espera que aumento do orçamento da Educação seja para contratar docentes e regularizar precários

O sindicato diz que é preciso resolver urgentemente o “grave problema” dos docentes que ficaram impedidos de progredir para o 6.º escalão, e alertou para a “escassa verba disponível” para investimento em materiais e serviços imprescindíveis ao normal funcionamento dos estabelecimentos de educação e ensino.

Doutor Finanças

O Sindicato dos Professores da Madeira (SPM) analisou a proposta de Orçamento Regional, para a educação. Face ao aumento orçamental previsto para o setor a estrutura sindical espera que o reforço seja para contratação e regularização de docentes precários e também para rejuvenescer o corpo docente.

A estrutura sindical alertou ainda é preciso resolver urgentemente o “grave problema” dos docentes que ficaram impedidos de progredir para o 6.º escalão, e deixou responsabilidades ao poder político por “irresponsavelmente” não ter regulado a prova de acesso destes docentes ao 6.º escalão, como estava obrigado.

O SPM recorda ainda que apesar de existir descongelamento e recuperação do tempo de serviço dos doentes, a maioria dos professores  “continua com salários reais inferiores” aos de janeiro de 2011, lembrando que a recuperação dos anos de serviços não traz nada aos docentes, para além do seu reposicionamento na carreira que já vem com pelo menos “sete anos de atraso e sem quaisquer efeitos remuneratórios retroativos”.

O sindicato expressou preocupação com a “escassa verba disponível” para investimento em materiais e serviços imprescindíveis ao normal funcionamento dos estabelecimentos de educação e ensino.

Recomendadas

Mercados do Município do Funchal acolhem quatro novos colaboradores

Este ano comemora-se o 80.º aniversário do Mercado dos Lavradores, pelo que o Presidente da Câmara lembrou a requalificação deste espaço, com a beneficiação da Praça do Peixe e a recuperação das redes de eletricidade e de saneamento básico do edifício.

PSD nacional instaura processo disciplinar a deputados da Madeira

Em entrevista ao Diário de Notícias da Madeira, a deputada Sara Madruga da Costa, afirmou que o processo disciplinar não a preocupa e que à semelhança do que aconteceu em 2016, quando também foi sancionada disciplinarmente, deixando inclusivamente de ser vice-presidente do Grupo Parlamentar do PSD, os interesses da Madeira estão em primeiro lugar.

Taxa do crédito habitação desce pelo quinto mês na Madeira

O montante em dívida no crédito habitação desceu dos 57 mil 971 euros para os 57 mil 807 euros.
Comentários