Madeira tem Orçamento Regional para 2022 de 2,1 mil milhões de euros

O Governo da Madeira prevê uma receita fiscal de 909 milhões de euros e um passivo financeiro de 548 milhões de euros.

A Região Autónoma da Madeira vai ter um Orçamento Regional para 2022 de 2.125 milhões de euros.

A verba correspondente às transferências do Orçamento do Estado é de 228 milhões de euros e 344 milhões de englobados em outras transferências.

A receita fiscal é de 909 milhões de euros e o passivo financeiro é de 548 milhões.

A redução dos escalões do IRS terá uma perda de receita calculada em 9,1 milhões de euros (8,6 milhões no IRS e 500 mil euros no IRS jovem).

As despesas correntes representam 59%, o correspondente a 1.252 milhões de euros e as de capital 41%, o equivalente a 873 milhões de euros.

A Região terá 126 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Do PRR, para a Habitação estão afetos 43,8 milhões, 19 milhões para a transição digital da Administração Pública e 23 milhões de euros para a potenciação de eletricidade renovável.

O Orçamento Regional tem destinados 462 milhões de euros para os assuntos económicos, 328 milhões para a Saúde e 381 milhões para a Educação.

Há ainda 96,8 milhões de euros afetos a programas e sistemas de incentivo e apoio às empresas, 22,4 milhões para o Novo Hospital da Madeira, 101 milhões de euros de juros e outros encargos e oito milhões para juros do empréstimo contraído para fazer face à pandemia da Covid-19.

A Associação de Promoção da Madeira vai dispor de um orçamento de 13 milhões de euros, a redução do valor dos passes sociais afeta 7,9 milhões de euros, cinco milhões de euros para o programa Estudante Insular, dois milhões são para o subsídio de mobilidade do Porto Santo e 2,1 milhões estão destinados ao meio aéreo de combate a incêndios, que estará disponível o ano inteiro e suportado em exclusivo pelo Orçamento Regional, como adiantou Rogério Gouveia, secretário regional das Finanças.

 

[Atualizada às 13h45]

Recomendadas

Covid-19: Açores exigem teste negativo à chegada a passageiros do estrangeiro

Quanto aos passageiros provenientes do continente ou da Madeira, vão ter de apresentar o certificado digital de vacinação ou recuperação da Covid-19 ou, no caso de não terem nem um nem outro, um teste negativo realizado até 72 horas antes do embarque para os Açores.

Covid-19: Albuquerque considera desnecessário aplicar medidas do continente (com áudio)

Desde 27 de novembro, segundo uma resolução do executivo madeirense, pode ser exigido na região teste antigénio negativo, com validade semanal, em alguns casos cumulativamente com certificado de vacinação contra a Covid-19, para acesso a vários espaços abertos e fechados, como restaurantes e ginásios.

Câmara do Funchal disponibiliza testes de antigénio a comerciantes do Mercado dos Lavradores

A testagem será feita através do protocolo já existente com os Serviços Médicos de Urgência, que compreende um stand de testes de antigénio aos visitantes do Mercado dos Lavradores.
Comentários