Madeira vai adquirir totalidade do capital social da gestora da Zona Franca até final do ano

“Vamos cumprir a determinação da União Europeia na aquisição do capital da SDM, ou seja, o governo vai comprar o capital aos privados”, disse Miguel Albuquerque, reforçando: “Pensamos encerrar essa negociação até ao fim do ano e depois vamos apostar e reforçar a competitividade do Centro Internacional de Negócios.”

Cristina Bernardo

O Governo da Madeira vai adquirir, até final do ano, a totalidade do capital social da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (SDM), responsável pela gestão do Centro Internacional de Negócios da região (CINM), indicou hoje o chefe do executivo.

“Vamos cumprir a determinação da União Europeia na aquisição do capital da SDM, ou seja, o governo vai comprar o capital aos privados”, disse Miguel Albuquerque, reforçando: “Pensamos encerrar essa negociação até ao fim do ano e depois vamos apostar e reforçar a competitividade do Centro Internacional de Negócios.”

O governante fez estas declarações à margem de uma visita a uma escola no concelho de Câmara de Lobos, zona oeste da Madeira.

“Eu quero dizer, com a máxima transparência, que, do ponto de vista do Governo nacional, designadamente o Ministério dos Negócios Estrangeiros, tem havido um esforço conjunto e concertado com o Governo regional, no sentido de fazer um ‘forcing’ junto de Bruxelas, tendo em vista desmistificar as mentiras e as falsidades que se pôs a correr relativamente ao Centro Internacional de Negócios”, declarou.

Em janeiro de 2020, a Comissão Europeia iniciou um processo de infração contra Portugal por considerar que a atribuição do contrato para gestão e exploração da Zona Franca da Madeira poderia infringir as regras da adjudicação de contratos de concessão, posição assumida também pelo Tribunal de Contas (TdC), em dezembro de 2019, que considerou a contratação “ferida de ilegalidade” por não observar as regras das concessões de serviços públicos.

Em causa estava a decisão do Governo Regional da Madeira de prorrogar, por ajuste direto, a concessão do Centro Internacional de Negócios da Madeira à SDM por mais dez anos, findo o prazo inicial de 30 anos, que caducara em 2017.

O executivo de coligação PSD/CDS-PP, liderado por Miguel Albuquerque, decidiu então adquirir a totalidade do capital social da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, do qual já detém 49%, e depois abrir concurso para a sua concessão ao setor privado, seguindo as orientações comunitárias.

“Este é um centro de negócios que visa suprir carências de uma região ultraperiférica. Não é um ‘offshore’, é um centro com baixa fiscalidade”, disse Miguel Albuquerque. E reforçou: “A situação é de absoluta transparência e controlo, até por força das regras da União Europeia”.

O presidente do governo destacou, como exemplo, o Registo Internacional do de Navios (MAR), que é o terceiro da Europa em termos de arqueação bruta – cerca de 16 milhões de toneladas -, com 680 navios de alta tonelagem registados, nos quais operam cerca de três mil tripulantes.

O Centro Internacional de Negócios da Madeira inclui três áreas investimento – a Zona Franca Industrial, o Registo Internacional de Navios e os Serviços Internacionais – e opera com base num regime especial de benefícios fiscais concedido pela União Europeia, sendo que está em vigor o IV regime, cujo prazo de emissão de licenças termina em 31 de dezembro de 2020, embora o regime produza efeitos até 2027.

Em 31 de dezembro de 2019, estavam licenciadas no CINM 2.307 entidades, sendo 1.579 no setor dos Serviços Internacionais, 48 na Zona Franca Industrial e 680 no Registo Internacional de Navios da Madeira.

De acordo com os últimos dados da Autoridade Tributária (AT), o CINM tem um contributo de 15% no total da receita fiscal da Madeira e representa 3.000 postos de trabalho diretos, excluindo os tripulantes dos navios registados.

Ler mais
Relacionadas

PSD/Madeira critica “aproveitamento” da TAP em viagem de repatriamento da Venezuela

“A 6 de outubro, um voo de repatriamento da TAP transportou 295 portugueses da Venezuela, 190 para a Madeira”, referiu o deputado Carlos Fernandes, numa intervenção no plenário, censurando o “aproveitamento que a TAP fez nesta viagem ao cobrar 855 euros a cada passageiro”.

Madeira: “Cortar na saúde é fácil, mais difícil é investir”, diz Sara Cerdas

Sara Cerdas explicou algumas das dificuldades sentidas na negociação do relatório do programa de saúde europeu EU4Health, esta semana aprovado na Comissão de Saúde Pública, Segurança Alimentar e Ambiente (ENVI). Reconheceu como uma conquista o programa de saúde incluir no seu cerne uma abordagem holística da saúde, aplicando o principio de “saúde em todas as políticas”.
Recomendadas

Saiba como pode fazer o seu dinheiro crescer com a poupança

São muitos os produtos financeiros disponíveis no mercado. Os bancos, por exemplo, comercializam muitos produtos de poupança, nomeadamente depósitos a prazo, contas de poupança, depósitos indexados e duais, com diferentes rendibilidades e riscos.

Madeira: Alargada até 31 de março de 2021 a admissibilidade de documentos expirados

Os documentos continuarão a ser aceites nos mesmos termos, após 31 de março de 2021, desde que o seu titular faça prova de que já procedeu ao agendamento da respetiva renovação.

Líder do PSD/Madeira determina adiamento do Congresso Regional

Albuquerque salienta no comunicado que a estrutura partidária “tem dado o exemplo no que toca à salvaguarda e defesa da saúde pública”, pelo que em 21 de novembro irá realizar-se apenas um Conselho Regional para “garantir a tomada de posse dos novos órgãos eleitos”.
Comentários