Mais de 41 mil pessoas assinaram petição para que Jeff Bezos não volte à Terra

“Ser devolvido à Terra é um privilégio – não é um direito”, escreve um dos signatários da petição. 

Jeff Bezos, CEO Amazon

O ainda CEO da Amazon, Jeff Bezos, tem viagem marcada para o espaço no próximo dia 20 de julho, marcando esta a primeira viagem da Blue Origin, a sua empresa de exploração espacial, para fora de órbita. No entanto, mais de 41 mil pessoas estão a pedir que Bezos não regresse ao planeta Terra aquando da sua viagem.

Jeff e o seu irmão Mark Bezos são apenas duas das três pessoas que irão estar a bordo do foguetão New Shepard quando este levantar voo no dia 20 de julho, marcando este o primeiro voo com humanos da Blue Origin. O terceiro elemento do voo ainda não é conhecida mas sabe-se que este pagou 23 milhões de euros em leilão pelo bilhete.

O anúncio que ia, finalmente, rumar ao espaço foi realizado a 7 de junho e, três dias depois da revelação, foram lançadas duas petições para evitar a reentrada do multimilionário mais rico do mundo na Terra. Em apenas dez dias, as petições somam milhares de seguidores e de assinaturas.

O abaixo assinado realizado no site Change.org, intitulado “Não permitam que Jeff Bezos regresse à Terra”, soma mais de 26 mil assinaturas desde este domingo. “Os multimilionários não deveriam existir… na Terra ou no espaço, mas se eles decidirem o último, devem permanecer lá”, lê-se na descrição da petição.

“Ser devolvido à Terra é um privilégio – não é um direito”, escreve um dos signatários da petição.

No mesmo site, outro abaixo assinado chamado “Petição para não permitir a reentrada de Jeff Bezos na Terra” contabiliza mais de 18 mil assinaturas até à data, um valor que tem aumentado com o passar dos dias. “Jeff Bezos é, na verdade Lex Luthor disfarçado do suposto proprietário de uma loja de comércio online bem sucedida. No entanto, ele é um demónio focado na dominação global. Sabemos disso há anos”, escreve Jose Ortiz, criador da última petição.

Relacionadas

Jeff Bezos embarca na primeira viagem ao espaço da Blue Origin a 20 de julho

Antes de abandonar o cargo de CEO da gigante tecnológica, Jeff Bezos irá embarcar, juntamente com o irmão e o vencedor do leilão do terceiro lugar, numa viagem até ao espaço. A receita do leilão vai reverter para a fundação Club for the Future.

PremiumDono da Amazon prestes a cumprir um sonho com 40 anos: viajar para o espaço

A primeira vez que Jeff Bezos falou da sua vontade de colonizar o espaço foi em 1982. O que parecia ser um devaneio de juventude não especialmente imaginativo vai ter um ponto alto a 20 de julho, quando o na altura ex-CEO da Amazon voar para lá do limite da Linha Karman.

Terceiro passageiro na viagem ao espaço com Jeff Bezos pagou 23 milhões de euros

Este foi o único lugar colocado à venda e o dinheiro angariado reverterá a favor da fundação Club for the Future, uma associada da Blue Origin que promove o ensino da matemática e da ciência.

Corrida pela última fronteira vale um trilião de dólares

Estados e privados estão juntos numa disputa tecnológica pelo espaço sideral. A procura por dados e comunicações incentiva um negócio que tem os mais ricos do mundo entre os atores principais.
Recomendadas

Contactos entre Nações Unidas e Maputo estão a decorrer, diz Santos Silva

O chefe da diplomacia portuguesa confirmou hoje, sexta-feira, que estão a decorrer contactos entre o Escritório das Nações Unidas Contra o Terrorismo e as autoridades de Maputo sobre a situação em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Primeiro-ministro israelita e príncipe herdeiro dos Emirados marcam encontro

Naftali Bennett falou com Mohammed Bin Zayed al Nahyan e os líderes concordam num encontro no futuro – no que pode ser mais um importante acontecimento no âmbito da normalização das relações entre o Estado hebraico e o mundo islâmico. Marrocos vem a seguir.

CPLP: Acordo de Mobilidade vai ao Parlamento “nas primeiras semanas de setembro”

O novo Acordo de Mobilidade assinado no passado fim-de-semana na cimeira da CPLP em Luanda vai ser apresentado para ratificação por parte de Portugal o mais brevemente possível, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros.
Comentários