Mais de metade dos brasileiros não confia no governo em Bolsonaro

Os dados indicam que a percentagem dos brasileiros que não confiam em Bolsonaro passou de 45% em abril para 51% em junho. Já a percentagem dos que confiam caiu de 51% para 46%, no mesmo período.

Varela Notícias

A maioria dos brasileiros (51%) disse não confiar no Presidente do país, Jair Bolsonaro, pouco mais de seis meses depois da tomada de posse, refere uma sondagem divulgada hoje pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e o Ibope.

Os dados indicam que a percentagem dos brasileiros que não confiam em Bolsonaro passou de 45% em abril para 51% em junho. Já a percentagem dos que confiam caiu de 51% para 46%, no mesmo período.

No que diz respeito ao modo de gestão do chefe de Estado brasileiro, os níveis de desaprovação cresceram, entre abril e junho, de 40% para 48%, enquanto a aprovação recuou de 51% para 46%.

Os três indicadores que medem a popularidade do Presidente registam uma baixa, segundo a pesquisa do CNI Ibope.

Os que consideram o Governo ruim ou péssimo passou de 27% para 32%, os que consideram regular passou de 31% para 32%, e aqueles que consideram o executivo ótimo ou bom caiu de 35% para 32%.

“A queda na popularidade do presidente é maior entre as mulheres, entre os respondentes com até a quarta série da educação fundamental, entre os brasileiros com menor rendimento familiar e entre os residentes nas regiões norte, centro-oeste e nordeste”, referem os dados.

Questionados sobre as perspetivas para o restante do Governo do Presidente Bolsonaro, 39% dos entrevistados disse esperar que seja ótimo ou bom, 27% regular, 29% ruim ou péssimo, e 6% não responderam.

A pesquisa (CNI) Ibope foi realizada entre os dias 20 e 23 de junho e abrangeu duas mil pessoas em 126 municípios do Brasil.

Ler mais
Recomendadas

Novo Presidente argentino quer agenda ambiciosa com o Brasil, para além da tensão com Jair Bolsonaro

O Presidente da Argentina, Alberto Fernández, destacou esta terça-feira no Brasil no seu discurso de posse no parlamento e pediu uma “agenda ambiciosa” apoiada pela história dos dois povos e não pela “diferença pessoal” com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro.

Boris Johnson admite risco de falhar maioria absoluta nas eleições legislativas

Johnson aludiu às eleições de 2017, quando a antecessora Theresa May tinha uma vantagem nas sondagens mas acabou por não conseguir uma maioria de deputados na Câmara dos Comuns, precisando do apoio do Partido Democrata Unionista (DUP) da Irlanda do Norte para formar governo.

Boris Johnson recria cena da porta do filme “O amor acontece”. Hugh Grant já criticou vídeo

Na nova versão, o primeiro-ministro britânico pede o voto ao seu eleitorado para que o Reino Unido consiga avançar no processo do Brexit. Hugh Grant, que entrou no filme, já criticou o filme.
Comentários