Malparado em Cabo Verde ultrapassa os 15 milhões de contos

E representa 12% do total de crédito, segundo o vice-primeiro e ministro das Finanças cabo-verdiano.

O crédito malparado em Cabo Verde ultrapassou os 15 milhões de contos e representa cerca de 12% do total de créditos, adiantou o vice-primeiro e ministro das Finanças cabo-verdiano, Olavo Correia. O governante, que falava no encontro de socialização do anteprojeto de penhora de bens móveis, disse que esse contexto leva a uma reflexão diferente daquilo que o país vem fazendo ate ao momento.

“Comparado com aquilo que é prática internacional 12% é um número elevadíssimo. Os bancos felizmente são bancos sólidos e saudáveis, têm liquidez, mas o nível de crédito mal parado em Cabo Verde é elevado. Nós não podemos querer ter um país desenvolvido sendo um país de incumpridores”, sustentou.

Olavo Correia afirmou que um dos princípios fundamentais para garantir o desenvolvimento é ter uma sociedade cumpridora de prazos, de obrigações e de contratos, pelo que pediu um sentido de responsabilidade.

“Quando falamos de facilitar o acesso estamos a falar um contexto para remover as barreiras que são desnecessárias, mas o acesso não pode ser de facilitismos”, alertou, afirmando que os incumpridores não devem ter acesso ao financiamento nem dos bancos, nem do Governo e dos mercados de capitais.

Por isso mesmo, Olavo Correia adiantou que o processo de crédito deve ser bem gerido para evitar situações que podem pôr em causa o sistema financeiro. “Quinze milhões de contos é um valor importante está ao nosso nível encontrar uma solução para esse desafio”, sublinhou.

O governo local está a trabalhar para criar uma solução e evitar que o crédito malparado tenha “grandes implicações” no sistema bancário. Para tal, convidou o Banco Mundial e a Sociedade Financeira Internacional para trabalharem juntos e, em conjunto, encontrar uma solução, permitindo um quadro “mais facilitador” de acesso a pequenas, médias e grandes empresas cabo-verdianas e, ao mesmo tempo, encontrar uma solução para o malparado.

Ler mais
Recomendadas

Cabo Verde autoriza 4,2 milhões de euros em créditos e paga a 12 mil trabalhadores em ‘lay-off’

O ministro cabo-verdiano Olavo Correia reconheceu que o Governo tem de acelerar as medidas em termos de execução, esperando contar com o sistema bancário para apoiar as empresas que reúnem as condições.

Proteção Civil de Cabo Verde alerta para necessidade de teste antes de viagens 

No caso de Santiago, com o maior número de casos da doença e em estado de calamidade, estão proibidas as ligações marítimas de passageiros de e para a ilha.

Cabo Verde: Autarca da Praia reivindica estatuto especial para a cidade

“Já foi aprovada a Zona Económica Especial para São Vicente. Tudo bem, convém que o desenvolvimento seja equilibrado em todas as ilhas, é muito importante, mas a Cidade da Praia é diferente de todas por ser capital”, disse Óscar Santos.
Comentários