PremiumMalparado fora das contas da ASFAC “por tradição”

Concessão de crédito ao consumo está mais “responsável”, diz Menezes Rodrigues. Mas o presidente da ASFAC alerta para a pressão da regulação na rentabilidade das instituições de crédito.

“Por questões de sensibilidade não revelamos esse número”, disse António Fernando Menezes Rodrigues, referindo-se ao montante do crédito malparado das 26 empresas que integram a Associação de Instituições de Crédito Especializado (ASFAC) e que representam 40% do setor em Portugal.

Presidente da ASFAC desde 1991, Menezes Rodrigues, como é conhecido na praça pública, explicou que “é tradição” da associação não compilar estatísticas sobre o malparado. “Como as estatísticas são produzidas para todos, podia-se criar um problema. É do pudor de cada empresa”, disse.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Carga fiscal de 2019 revista em baixa para 34,7% e mantém-se a mais alta de sempre

O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu hoje em baixa em uma décima a carga fiscal de 2019, para 34,7%, um valor igual ao de 2018 e o mais elevado de sempre.

Iniciativa Liberal desafia Governo a divulgar dados do IRS de 2018

Para o deputado João Cotrim de Figueiredo, é fundamental “para se poderem fazer cálculos e cenários da receita fiscal, essenciais na preparação de um novo orçamento e na análise de medidas fiscais em concreto”.

“Há pessoas que, por vergonha, prolongam situações insustentáveis”, revela autor de livro sobre finanças pessoais

Em 150 páginas, o autor explica como os portugueses podem ter controlo das suas finanças, ajudando os cidadãos a controlar os gastos numa altura em que se avizinha uma grave crise causada pela pandemia.
Comentários