Manuais escolares: queixas subiram 317% em relação a 2017

O Portal da Queixa, a maior rede social de consumidores de Portugal, registou entre o início de agosto e 6 de setembro deste ano um aumento de 317% do número de reclamações relativas aos manuais escolares, face ao período homólogo.

A uma semana do regresso às aulas as queixas relativas aos manuais escolares cresceram entre o início de agosto e 6 de setembro deste ano, 317% em relação ao último ano, segundo o ‘Portal das Queixas’. Ao Ministério da Educação e Ciência (MEC), entre julho e 6 de setembro de 2018, já chegaram ao ‘Portal da Queixa’ mais de 100 reclamações, uma subida de 100%, comparativamente com 2017. 

Um dos principais motivos da insatisfação dos consumidores está relacionado com a plataforma MEGA (Manuais Escolares Gratuitos) lançada, este ano, pelo MEC. O principal motivo das reclamações contra esta plataforma está relacionado com problemas associados à emissão dos vouchers.

Há quem tenha feito o registo e não tenha recibo dos vouchers. Existem ainda casos em que os consumidores recebem o voucher e depois este é anulado. Além dos problemas associados aos vouchers, os consumidores deparam-se, também, com a impossibilidade de contacto para esclarecimentos e resolução dos seus problemas.

Recomendadas

Custo das rendas pode deixar quase 20 mil alunos sem professores

Câmaras municipais pedem apoio ao Governo para fixar docentes que estejam longe de casa.

Não haverá “eliminação administrativa” de chumbos, diz ministro da Educação

Tiago Brandão Rodrigues considera que “as retenções nunca levam esses alunos a bom porto. Muito provavelmente levam ao abandono escolar ou uma nova repetição de ano”.

Ministério da Educação promete substituição mais rápida de funcionários nas escolas

As escolas vão poder substituir funcionários de forma mais célere, podendo contratar ao fim de 12 dias de ausência do trabalho, anunciou esta terça-feira o Ministério da Educação.
Comentários