Manuais escolares: queixas subiram 317% em relação a 2017

O Portal da Queixa, a maior rede social de consumidores de Portugal, registou entre o início de agosto e 6 de setembro deste ano um aumento de 317% do número de reclamações relativas aos manuais escolares, face ao período homólogo.

A uma semana do regresso às aulas as queixas relativas aos manuais escolares cresceram entre o início de agosto e 6 de setembro deste ano, 317% em relação ao último ano, segundo o ‘Portal das Queixas’. Ao Ministério da Educação e Ciência (MEC), entre julho e 6 de setembro de 2018, já chegaram ao ‘Portal da Queixa’ mais de 100 reclamações, uma subida de 100%, comparativamente com 2017. 

Um dos principais motivos da insatisfação dos consumidores está relacionado com a plataforma MEGA (Manuais Escolares Gratuitos) lançada, este ano, pelo MEC. O principal motivo das reclamações contra esta plataforma está relacionado com problemas associados à emissão dos vouchers.

Há quem tenha feito o registo e não tenha recibo dos vouchers. Existem ainda casos em que os consumidores recebem o voucher e depois este é anulado. Além dos problemas associados aos vouchers, os consumidores deparam-se, também, com a impossibilidade de contacto para esclarecimentos e resolução dos seus problemas.

Recomendadas

Apenas duas escolas públicas no top 30. Veja aqui o ranking 2018

O ranking de 2018 das notas dos exames é dominado pelas escolas privadas e liderado pelo Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto. As duas escolas públicas melhor classificadas são a Clara de Resende no Porto e a Infanta D. Maria de Coimbra.

Abandono escolar atinge “mínimo histórico” em 2018

O abandono escolar atingiu, no ano passado, o valor mais baixo de sempre, tendo descido de 12,6% em 2017 para 11,8%, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

Filhos no ensino secundário? Estas são as novas datas dos exames nacionais

As alterações vêm no sentido de melhorar a autonomia e flexibilidade curricular de maneira a que permita a permuta e substituição de disciplinas.
Comentários