Este mapa mostra aquilo em que cada país do mundo é melhor

Os espanhóis são bons na tolerância à comunidade LGBT, os franceses são os melhores a beber whisky. E os portugueses? Conheça o mapa deste ano dos “International Number Ones”.

O website Information is Beautiful, fundado pelo infográfico David McCandless, divulgou um globo com as principais coisas em que cada país foi o melhor em 2016.

O antigo jornalista de dados do “The Guardian” e da “Wired” compilou uma série de informação de fontes como a CIA, a “Bloomberg” ou o “The New York Times” e construiu um mapa-múndi com os destaques na maior qualidade de diversos países.

Portugal também se encontra no International Number Ones: Because every country is the best at something (“Números Um Internacionais: Porque todos os países são os melhores nalguma coisa”). Após consultar as várias fontes de informação, David McCandless concluiu que a nossa melhor característica este ano foi a cortiça.

Os nuestros hermanos são os melhores a respeitar a comunidade LGBT, o movimento que luta pela igualdade sexual e de género, de acordo com a investigação. Já a Singapura tem as pessoas mais saudáveis e, em África, o Botswana destaca-se pelos diamantes e a ilha de Madagáscar pela baunilha.

As particularidades dos países deste globo não todas positivas. Segundo o trabalho no website de David McCandless, os países podem ser os melhores… a fazer o pior. Na Angola, por exemplo, o mapa dá enfoque à mortalidade infantil deste ano. Os Estados Unidos da América foram os maiores emissores de spam por email, as Honduras tiveram muitos assassinatos e Turquia ‘pontuou’ na censura na rede social Twitter.

 

imagem-1

 

Fonte: www.informationisbeautiful.net 

Recomendadas

Confederações patronais pedem reunião ao primeiro-ministro

“Os desafios que o país enfrenta num contexto tão exigente como o atual implicam uma convergência efetiva de esforços e a concertação com o sector privado da economia, primeiro responsável pela criação de emprego, pela geração de riqueza e pelo investimento”, argumentam CAP, CCP, CIP, CTP e CPCI.

Livro Verde: “O teletrabalho não pode, em nenhum caso, ser de recurso obrigatório”, defende CCP

No seu parecer à versão em consulta pública do Livro Verde sobre o Futuro do Trabalho, que termina esta terça-feira, a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal defende que o teletrabalho deve ser objeto de negociação coletiva e a sua regulação deve ser ponderada e não basear-se na realidade resultante da pandemia.

Mulheres entre a população ativa que está mais fora da força de trabalho na União Europeia

O Eurostat contabilizou os cidadãos que em 2020 não estavam empregados nem desempregados, mas que também não têm disponibilidade para procurar emprego por se encontrarem a estudar, a serem cuidadores informais ou por razões de doença ou de invalidez.
Comentários