PremiumMaradona: Fazer a revolução com a “mão de Deus” e a bola colada aos pés

Vingou a Guerra das Malvinas em pleno México 86, acabou com o estigma de que um clube do sul não podia ganhar títulos de campeão em Itália e dividiu esse país ao meio quando pôs Nápoles a celebrar uma vitória argentina no Itália 90. Para o 10, o futebol era uma arma.

Lo marqué un poco con la cabeza y un poco con la mano de Dios”. No Inglaterra-Argentina do México 86 não se jogava apenas os quartos de final de um Mundial de futebol. Quatro anos antes terminara o conflito bélico conhecido como Guerra das Malvinas, que custou a vida a 649 soldados argentinos e 255 soldados britânicos e que fez com que os países só reatassem relações diplomáticas em 1990, sem qualquer um deles renunciar à soberania sobre essas ilhas. Foi de relações cortadas que se defrontaram no Estádio Azteca, na Cidade do México, a 22 de junho de 1986, e nesse dia Diego Armando Maradona, falecido nesta quarta-feira, aos 60 anos, fez a revolução com a bola colada ao pé esquerdo e a ajuda da mão de Deus.

Decorria o minuto 55 quando o génio argentino se soltou para a eternidade: percorreu 60 metros, deixou cinco ingleses para trás e marcou aquele que foi considerado em 2002 como o golo do século numa votação da FIFA. Quatro minutos antes, deixou o mundo espantado com um golo marcado com a mão que o árbitro não viu. Esse Mundial, em 1986, foi descrito como um autêntico one-man show, com o 10 a carregar uma seleção às costas rumo ao título mundial.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Marisa Matias recorre ao futebol para falar sobre o racismo em Portugal

Apesar de terem sido referidos durante o evento, nem Ricardo Quaresma ou Éder Lopes têm demonstrado apoio a qualquer um dos candidatos presidenciais. A candidata também mencionou o nome de Eusébio durante o evento onde abordou temas raciais.

DGS aguarda esclarecimento do diretor clínico da Unilabs sobre falsos positivos de Šporar e Nuno Mendes

Perante a polémica em torno dos testes positivos a Šporar e Nuno Mendes, a DGS buscou obter esclarecimentos junto do diretor clínico do laboratório responsável pelas análises, não tendo ainda recebido resposta.

Ex-jogador do Real Madrid FC torna-se no primeiro futebolista a ser comprado com bitcoin

O clube que faz parte da DUX Gaming não divulgou o valor total do negócio, mas a mudança para Barral foi “possível” através do patrocinador do clube espanhol, a Criptan – uma plataforma local para compra e venda de criptomoedas.
Comentários