Marca Portugal vale mais de 190 mil milhões de euros, diz consultora

Num ranking de cem países, elaborado pela Brand Finance, a marca Portugal surge na posição 48, à frente de países como Egito, Peru, Hungria, Eslováquia, Luxemburgo e Grécia. Contudo, países como Roménia, África do Sul, Nova Zelândia, Cazaquistão, Irão, Vietname ou Qatar surgem à frente de Portugal.

O valor da marca Portugal cresceu 3%, para 214 mil milhões de dólares (194 mil milhões de euros), e a força da marca obteve um total de 75 pontos em cem possíveis, de acordo com o ranking Nation Brands 2019 da consultora Brand Finance.

Num ranking de cem países, a marca Portugal surge na posição 48, à frente de países como Egito, Peru, Hungria, Eslováquia, Luxemburgo e Grécia. Contudo, países como Roménia, África do Sul, Nova Zelândia, Cazaquistão, Irão, Vietname ou Qatar surgem à frente de Portugal.

A principal conclusão deste ranking incide nas economias dos países em desenvolvimento, cujas marcas e respetiva força cresceram 30 vezes mais rápido desde 2018 do que as dos países desenvolvidos.

Ainda assim, observando o top10 deste ranking da Brand Finance apenas a Índia, um país em desenvolvimento, está entre os dez países cuja marca tem a avaliação mais elevada. Assim, e por ordem da primeira posição para a décima posição do ranking: EUA; China; Alemanha; Japão; Reino Unido; França; Índia; Canadá; Coreia do Sul e Itália.

De acordo com o comunicado enviado à redação, as marca dos países desenvolvidos estagnou. Apenas o Japão foi excepção ao ver a sua marca crescer 26%.

“Com o ocidente a viver uma crise real de liderança nos dois lados do Atlântico, os países em desenvolvimento avança. Mais ágeis e inovadores, marcas dos países africanos, do Médio Oriente, da Ásia e da América do Sul avançam a uma velocidade vertiginosa”, conclui o presidente executivo da Brand Finance, David Haigh.

Ler mais
Recomendadas

PremiumLisboa recebe 15 startups de impacto escolhidas pelo BEI

Escola de negócios IES assegura mentoria na estrutura do modelo de negócio e plano financeiro e na criação de dinâmicas de grupo.

Sauditas batem recorde de envio de petróleo para a China em abril

A agência Bloomberg informa que em abril a Arábia Saudita bateu um recorde de exportações de petróleo para a China da ordem dos 2,3 milhões de barris por dia, correspondente ao volume mais elevado desde 2017. Em abril a generalidade dos países europeus estava em fase de confinamento.

PremiumAjustes na legislação laboral para teletrabalho

A crise de saúde pública trouxe a necessidade de novas formas e organização de trabalho, em que a imposição do teletrabalho foi a mais notória.
Comentários