Marcelo responde a Teodora: “Milagre só o de Fátima”

Presidente da República respondeu à presidente do Conselho de Finanças Públicas sobre o “milagre” do défice: “Saiu do pelo e do trabalho dos portugueses”.

Cristina Bernardo

O Presidente da República defendeu esta quinta-feira que o défice orçamental de 2016 abaixo de 2,1% do PIB é um resultado do esforço e trabalho dos portugueses e não um milagre. Marcelo Rebelo de Sousa respondeu, assim, às declarações da presidente do Conselho de Finanças Públicas, Teodora Cardoso, que afirmou que “até certo ponto, houve um milagre” no défice, em entrevista à “Rádio Renascença” e ao jornal “Público”.

“Milagre este ano em Portugal só vamos celebrar um que é o de Fátima. Pelo menos os crentes, como eu. Tudo o resto não é milagre. Saiu do pelo e do trabalho dos portugueses desde 2011/2012”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, quando questionado sobre as declarações de Teodora Cardoso depois de uma visita à Escola Rodrigues de Freitas, no Porto.

Durante a entrevista à “Renascença” e ao “Público”, a presidente do Conselho de Finanças Públicas defendeu que Portugal pode sair do procedimento por défice excessivo este ano, mas que existe o risco de reentrar, como já aconteceu. Classificando o resultado do défice como um milagre, Teodora Cardoso disse ainda duvidar da sustentabilidade das medidas do Governo.

Recomendadas

Um ministro das Finanças e um orçamento comum, as receitas de Blanchard para a Zona Euro

O antigo economista-chefe do FMI traçou o caminho para uma política monetária e orçamental mais coordenada para a zona euro. Além da criação de um posto de ministro das Finanças, Olivier Blanchard disse que é essencial agilizar as políticas sobre o défice e sugeriu um orçamento comunitário comum.

Governo estuda emissão de obrigações para empresas industriais

O Governo está a estudar lançar emissões de obrigações agrupadas para vários setores, nomeadamente o industrial, depois de anunciar hoje uma operação destinada a empresas de turismo, de acordo com o ministro Adjunto e da Economia.

“A economia está a arrefecer”, alerta banco central da Alemanha 

O Bundesbank, banco central alemão, considerou esta segunda-feira que a economia da Alemanha está a abrandar após um período de grande prosperidade, mas espera uma estabilização no segundo semestre do ano.
Comentários