Mário Ferreira admite estar disponível para investir mais 15 milhões de euros na Media Capital

Em entrevista à revista Meios & Publicidade, Mário Ferreira, que comprou recentemente 30,22% da dona da TVI por 10,5 milhões de euros, diz que pagou o “preço justo” pela entrada na Media Capital e garante estar focado em “criar valor” naquele que diz ser “o maior grupo de media português”.

O empresário Mário Ferreira admite estar preparado para investir mais 15 milhões de euros na Media Capital. Em entrevista à revista Meios & Publicidade, Mário Ferreira, que comprou recentemente 30,22% da dona da TVI por 10,5 milhões de euros, diz que pagou o “preço justo” pela entrada na Media Capital e garante estar focado em “criar valor” naquele que diz ser “o maior grupo de media português”.

“A nossa entrada [na Media Capital] é a um preço justo”, afirma Mário Ferreira. E sublinha: “Obviamente que eles só aceitaram este preço justo porque perceberam que só eu estou contratualmente disponível – só eu, a nossa empresa – em aportar mais 15 milhões de empréstimo para reforçar. Só nós. Estamos comprometidos, se não for preciso todo, não será todo… Mas estamos disponíveis”.

O empresário afirma que a Media Capital “saltou de vendedor em vendedor” porque “não havia uma estratégia de futuro” mas uma preocupação apenas em “tapar buracos”. Mário Ferreira diz ainda que o objetivo é aproximar os prejuízos “o mais possível do zero”, depois de no ano passado, fruto de imparidades, a Media Capital ter registado prejuízos de cerca de 50 milhões de euros.

“A ambição é criar valor, num grupo que é o maior grupo de media português e que terá de ter quatro pilares, muito produtivos, autónomos e auto-suficientes: TVI, rádios, digital e a Plural. Para cada um destes está a ser desenvolvido um plano estratégico específico e bastante agressivo, por forma a ser reinventado para aquilo que será um grupo de media no futuro”, adianta.

Recomendadas

Portugal em 7º lugar no indicador global de literacia financeira, segundo a OCDE

Portugal, através do Ministério da Educação, participou pela primeira vez, em 2018, no exercício de avaliação de literacia financeira do Programme for International Student Assessment (PISA), cujos resultados foram divulgados no passado dia 7 de maio.

80,6 mil milhões de euros. Mark Zuckerberg já é mais rico que Warren Buffett

O ‘Business Insider’ explica que a subida de Zuckerberg se deveu aos resultados inesperados da plataforma e ao aumento do número de utilizadores durante o primeiro trimestre de 2020.

António Saraiva: “Empresas precisam de apoios a fundo perdido. Não querem agravar dívida”

O barómetro semanal CIP/ISCTE revela que 82,2% das empresas preferem apoios para capitalização que não agravem o seu endividamento e 41,7% dizem que querem suspender ou cancelar investimentos previstos para 2020. O presidente da CIP, António Saraiva diz que as necessidades das linhas de apoio às empresas aumentaram para 10,5 mil milhões de euros.
Comentários