Marta Temido: “Temos pela frente um contexto complexo”

Ministra da Saúde identificou o regresso às aulas, a gripe sazonal e a dificuldade económica de um eventual novo lockdown entre os principais desafios dos próximos meses.

António Cotrim / Lusa

A ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu que o cenário dos próximos meses será complexo, cruzando diversas variáveis no aumento dos contágios de casos de Covid-19, nomeadamente o regresso às aulas e a gripo sazonal.

“Hoje Portugal está melhor preparado para enfrentar a próxima fase”, começou por dizer Marta Temido, no início da reunião do Infarmed, que está a decorrer esta segunda-feira à tarde no Porto.

A ministra da Saúde alertou que “como em toda a Europa, temos pela frente um contexto complexo”, enumerando “o regresso às aulas, a gripe sazonal, o habitual acréscimo de mortalidade nos meses de inverno, particularmente nos mais idosos, a necessidade de responder a todas as outras necessidades assistenciais, a dificuldade económica de um eventual suportar de um novo lockdown“.

“Temos de estar bem cientes do contexto que nos rodeia e com conhecimento para poder enfrentá-lo”, vincou, antes de explicar o programa da sessão dividida em duas partes. As apresentações na primeira parte irão centrar-se numa análise da situação epidemiológica atual, apresentada pelos serviços técnicos do Ministério da Saúde, DGS e Instituto Ricardo Jorge, assim como numa atualização de informação “para compreender trabalho desenvolvido nos últimos 60 dias” e “um ponto de situação de eventual aquisição de vacina”. Já a segunda parte versará sobretudo no tema do regresso às escolas.

No auditório da Faculdade de Medicina da Universidade Porto, o primeiro-ministro, António Costa, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, assim como representantes dos principais partidos e parceiros sociais ouvem os técnicos e especialistas sobre a evolução da pandemia.

Relacionadas

António Costa diz que “não podemos voltar a paralisar o país todo”

Primeiro-ministro reconhece que Portugal está “num momento crucial” no que toca à pandemia de Covid-19, com previsível aumento do número de contágios, mas afastou a repetição do confinamento de março devido ao “brutal custo” dessa “paralisação global da economia”.
Marcelo Rebelo de Sousa no Infarmed

Covid-19: como está a situação epidemiológica em Portugal? Acompanhe em direto a reunião do Infarmed

Esta segunda-feira, são retomadas as reuniões do Infarmed, a partir do Auditório da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, que reúnem especialistas e responsáveis políticos para debater a situação epidemiológica associada à Covid-19 em Portugal.
Recomendadas

OE2021: Federação sindical pediu alterações ao BE e ao PS

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) pediu hoje aos deputados do Bloco de Esquerda e do Partido Socialista que proponham alterações ao Orçamento do Estado (OE) para 2021 que respondam às reivindicações dos funcionários públicos.

América Latina é a região mais afetada por notícias falsas sobre covid

o Observatório de Infodemia Covid-19 da Fundação Bruno Kessler refere que, dos 83 países em estudo, os 15, onde a fiabilidade das informações sobre a doença difundidos através dos meios digitais é a mais baixa, encontram-se na América Latina, onde 59% do que se publica é considerado “fiável”.

Covid-19: Bastonária dos farmacêuticos diz que Saúde falhou planeamento do inverno

A bastonária dos farmacêuticos defendeu hoje que o país, nomeadamente a área da Saúde, falhou a preparação do período de outono-inverno e criticou a “comunicação bastante irregular” que tem sido feita da pandemia, que não se combate com “normativos”.
Comentários