Medway vai investir um milhão na zona logística de Sines

O contrato incide sobre uma área superior a 30 mil metros quadrados e terá um prazo de concessão de 20 anos.

DCIM102MEDIA

A Medway, do Grupo MSC – Mediterranean Shipping Company, vai investir cerca de um milhão de euros na ZILS –  Zona Industrial e Logística de Sines.

O contrato foi assinado na passada sexta-feira, dia 12 de abril, entre a empresa de transporte ferroviário de mercadorias, resultante da privatização da CP Carga, e a aicep Global Parques – Gestão de Áreas Empresariais e Serviços, S. A., empresa pública responsável pela gestão da ZILS.

Segundo um comunicado da Medway, este investimento “vai permitir alargar a prestação dos seus serviços no complexo portuário, logístico e industrial de Sines”.

“Com uma área superior a 30.000 metros quadrados, por um período de 20 anos e com um investimento de cerca de um milhão de euros, a Medway fica assim provida de uma maior capacidade para prestação dos serviços logísticos, necessária para a captação de novos negócios e clientes”, explica um comunicado da empresa do Grupo MSC, o segundo maior armador mundial.

De acordo com Carlos Vasconcelos, presidente do conselho de administração da Medway, “a nossa presença em Sines, apesar de expressiva, estava a ficar aquém das nossas necessidades”.

“Numa perspetiva de melhoramento da capacidade de resposta e alargamento de serviços, entrámos em negociação com a aicep Global Parques e assinámos um contrato de expansão que nos permite ir ao encontro do nosso objetivo de reforçar a presença da Medway em Sines”, defendeu aquele responsável.

Já para o presidente da comissão executiva da aicep Global Parques, Filipe Costa, “este novo investimento da Medway acompanha e dinamiza o aumento de produção das unidades petroquímicas instaladas na ZILS, essenciais para alimentar a indústria transformadora em Portugal.”

Ler mais
Recomendadas

Toys “R” Us quer recuperar quota e faturar 170 milhões este ano

A multinacional reforçou a sua presença ‘online’ para recuperar a quota de mercado em Portugal e Espanha e quer faturar mais de 170 milhões de euros este ano.

Imobiliárias com novas obrigações de comunicação de operações

Empresas têm a partir do próximo dia 26 novas obrigações de identificação, controlo e comunicação de operações de compra, arrendamento, venda ou permuta.

Presidente do BCP defende fim do sigilo bancário nas comissões parlamentares de inquérito

Miguel Maya defende o fim do sigilo bancário nas comissões parlamentares de inquérito.
Comentários