MEO entra na estrutura acionista da Sport TV

Sport TV vai passar a ser dividida entre quatro donos: a Olivedesportos, a Vodafone, a NOS e a Meo, cada uma das quatro empresas deterá 25% do capital e dos direitos de voto.

A Meo vai entrar na estrutura acionista da Sport Tv, adquirindo 25% do capital e direitos de voto, noticia a Economia ao Minuto.

“A nova composição acionista da SPORT TV complementa e fortalece a sua estratégia de crescimento e inovação”, disse o presidente da Sport TV, Joaquim Oliveira. “Vamos continuar a investir em novos conteúdos, novos profissionais e numa programação mais rica e diversificada para surpreender os clientes e captar novos públicos”, acrescentou.

A Sport TV vai passar a ser dividida entre quatro donos: a Olivedesportos, a Vodafone, a NOS e a Meo, cada uma das quatro empresas deterá 25% do capital e dos direitos de voto.

Por outro lado o chairman e Ceo da PT Portugal/Meo, Paulo Neves, afirmou que “a nova estrutura do capital social da SPORT TV beneficia, acima de tudo, os nossos clientes e o mercado português, e garante ao MEO e aos outros operadores acesso aos conteúdos desportivos considerados essenciais em condições de mercado equitativas e não discriminatórias”.

 

Recomendadas

Portugal continua com menos gente e cada vez mais velho

Uma população mais pequena, mais idosa, mas com poucas diminuições na percentagem em risco de pobreza. Tendência de decréscimo populacional e envelhecimento poderia ser ainda mais notória, não fosse o saldo migratório

Exportações de vestuário caem 43% em maio

A tendência de queda manteve-se em maio, com a indústria de vestuário a ter uma queda de 43% de envios para o exterior. Desde o início do ano, as empresas do setor perderam mais de 300 milhões de euros em exportações.

Vice-presidente da Comissão Europeia concorda com preocupações da CIP

Carta enviada em abril por António Saraiva a Ursula von der Leyen obteve resposta do seu “vice”. Valdis Dombrovskis defende “que a Europa deve estar equipada com os instrumentos necessários para enfrentar as consequências económicas e sociais da crise”.
Comentários