Mercadona altera relação com fornecedores a pensar nos clientes

A medida vai ter impacto na forma como a Mercadona se relaciona com os cerca de 1.400 fornecedores para produtos da marca própria da cadeia de supermercados, como a marca “Hacendado”, numa relação pensada para o longo-prazo e para o desenvolvimento de produtos através de co-inovação.

A cadeia espanhola de supermercados, a Mercadona, vai alterar a forma como interage com os fornecedores dos seus produtos, noticia o “El Economista”. Em detrimento do modelo tradicional de negócio, que assentava na gestão de várias categorias de produtos com os respetivos fornecedores, a Mercadona vai passar a gerir o produto a produto, de forma a tornar-se mais ágil na resposta às necessidades dos clientes.

A medida vai ter impacto na forma como a Mercadona se relaciona com os cerca de 1.400 fornecedores para produtos da própria marca da cadeia de supermercados, como a marca “Hacendado”, numa relação pensada para o longo-prazo e para o desenvolvimento de produtos através de co-inovação.

Em 2012, a empresa, que iniciou em Portugal o processo de internacionalização, apercebeu-se que as tinha de adaptar-se para satisfazer as necessidades dos clientes e eliminar o risco de não oferecer uma resposta tempestiva aos clientes, o que acontecia quando estes pediam um produto que a Mercadona não comercializava e que precisava de tempo para o fabricar.

A empresa admitiu que cometeu um erro por pensar que um fornecedor teria capacidade para fabricar uma categoria completa de produtos, algo que é difícil de alcançar.

A Mercadona iniciou a sua atividade portuguesa em 2016 depois ter registado a sociedade comercial Irmãdona, na zona do Grande Porto.

Em agosto de 2018, o Comité de Direção da empresa aprovou a abertura de 10 lojas em Portugal no segundo semestre deste ano. “As lojas vão estar localizadas nos distritos do Porto, Braga e Aveiro”, divulgou a empresa num comunicado de setembro. As quatro primeiras lojas serão abertas em Gaia, Matosinhos, Maia e Gondomar.

A abertura destas lojas obrigou a um investimento adicional de 75 milhões para o arranque da expansão em Portugal, totalizando 100 milhões de euros.

Relacionadas

“Chegamos em breve”. Mercadona mostra imagens do primeiro supermercado em Portugal

A cadeia de supermercados Mercadona prevê inaugurar a primeira loja da marca em Portugal em julho de 2019, de acordo com o espanhol ‘Expansiòn’, data que marca também o arranque da atividade internacional desta cadeia.
Recomendadas

Operadora de jogo de Macau MGM China com resultado positivo de 12,6 milhões

A MGM China, operadora de jogo com dois casinos em Macau, anunciou esta quinta-feira um EBITDA positivo (lucros antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) no segundo trimestre do ano.

Banco digital francês Nickel alia-se à CCP para ter “balcões” nas lojas de rua (com áudio)

“Nesta área, em que é preciso o consumidor ter confiança no interlocutor para pôr e tirar de lá dinheiro, o perfil deste comércio pode impulsionar este projeto e aproveitar o potencial para criar oportunidades para os pontos de venda”, diz João Vieira Lopes ao JE.

Banco do Brasil com aumento de 52% nos lucros no primeiro semestre (com áudio)

O Banco do Brasil anunciou na quarta-feira um lucro líquido de 9,75 mil milhões de reais (1,58 mil milhões de euros) no primeiro semestre do ano, um aumento de 52% em comparação com o mesmo período em 2020.
Comentários