México pode travar acordo de corte na produção de petróleo

“Espero que vejam os benefícios deste acordo, não apenas para o México mas para o mundo inteiro. Todo este acordo depende do consentimento do México”, assumiu o rei da Arábia Saudita Abdulaziz bin Salman à Reuters.

O acordo dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (OPEP+), que estipula a redução da produção de petróleo, pode não acontecer devido ao México, avança a ‘Reuters’, esta sexta-feira, 10 de abril.

Segundo o ministro da Energia da Arábia Saudita, os principais países que fazem parte da OPEP+ acordaram um corte de 10 milhões de barris por dia, mas a concretização deste plano está dependente do México, que não quer aplicar cortes na sua produção.

“Espero que vejam os benefícios deste acordo, não apenas para o México mas para o mundo inteiro. Todo este acordo depende do consentimento do México”, assumiu o rei saudita Abdulaziz bin Salman à ‘Reuters’. A ministra da Energia mexicana, Rocio Nagle Garciato, assumiu na rede social Twitter que o país latino está disponível para cortar a produção diária em 100 mil barris, um valor muito abaixo da proposta de redução de 400 mil barris por dia.

A procura global de combustível apresentou uma quebra de 30 milhões de barris por dia, uma vez que as medidas de precaução de muitos países passaram por encerrar os aeroportos e impedir voos das companhias aéreas. O principal objetivo é retirar até 20 milhões de barris do mercado para reverter a crise de preços agravada pela pandemia do novo coronavírus.

Esta sexta-feira, 10 de abril, os responsáveis da Energia do G20 vão reunir-se para debater cortes adicionais que poderão ascender o corte de cinco milhões de barris diários. A reunião vai contar com a presença dos Estados Unidos e Canadá.

Relativamente aos cortes da produção de petróleo dos EUA, do Canadá e do Brasil, Abdulaziz bin Salman disse à ‘Reuters’ que estes países têm de fazer os cortes por eles mesmo, sendo que “não é o nosso trabalho ditar o que os outros podem fazer com base nas circunstâncias de cada país”.

Ler mais
Relacionadas

Rússia e Arábia Saudita com princípio de acordo para cortes na produção do petróleo

A Arábia Saudita terá aceite reduzir a sua produção em quatro milhões de barris diários a partir de abril, enquanto os russos concordam com um corte nas extrações de dois milhões de barris por dia.
Recomendadas

“Não há solução perfeita ou indolor para a TAP”, diz confederação de turismo

O turismo em Portugal preocupa em queda de receitas e aumento de desemprego, mas o líder da CTP acredita na retoma. Defende a prorrogação do ‘lay-off’ e uma campanha de promoção interna.

Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

PremiumMontepio Crédito defende CFEI para capitalizar empresas

Pedro Gouveia Alves realça que este instrumento de crédito fiscal já deu provas positivas em 2014. Autonomia financeira do setor ronda apenas os 20%.
Comentários