Ministério Público acrescenta cinco arguidos à operação ‘Fora de Jogo’

Das buscas a instalações de SAD, empresas e escritório de advogados realizadas esta quarta-feira destacam-se as visitas Sporting de Braga e Vitória de Guimarães. Em causa estão suspeitas de negócios simulados entre clubes de futebol e terceiros, com valores a rondar os 15 milhões de euros.

O Ministério Público (MP) constituiu esta “cinco arguidos, três pessoas singulares e duas coletivas”, na sequência das “cerca de duas dezenas de buscas domiciliárias e não domiciliárias” realizadas na segunda fase da designada operação ‘Fora de Jogo’.

Em 04 de março de 2020, a operação ‘Fora de Jogo’ levou à constituição de 47 arguidos, 24 pessoas coletivas e 23 pessoas singulares, após buscas em várias entidades ligadas ao universo do futebol.

Em comunicado, o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) atualizou a informação, dando conta dos resultados das buscas em vários locais do país que envolveram dois juízes, cinco magistrados do Ministério Público, quatro dezenas de efetivos da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) e cerca de meia centena de militares da GNR.

Das buscas a instalações de Sociedades Anónimas Desportivas (SAD), empresas e escritório de advogados esta quarta-feira realizadas destacam-se as visitas Sporting de Braga e Vitória de Guimarães. Em causa estão suspeitas de negócios simulados entre clubes de futebol e terceiros, com valores a rondar os 15 milhões de euros.

As investigações prosseguem sob direção do Ministério Público do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), com o apoio Direção de Serviços de Investigação da Fraude e de Ações Especiais (DSIFAE) da AT.

Paralelamente, o Ministério Público informa que foram realizadas “diligências de obtenção de prova complementares” às realizadas na segunda-feira, e que envolveram dirigentes do FC Porto e empresários de futebol.

“Embora tivessem lugar em simultâneo com as buscas de que anteriormente se deu nota, estas diligências efetuaram-se em autonomia de meios e objetivos e com a intervenção de outros magistrados do MP”, esclarece o organismo.

Esta operação decorreu em Lisboa e na zona norte do país e envolveu a realização de “mais de uma dezena de buscas domiciliárias e não domiciliárias, designadamente a escritórios de agentes desportivos e a duas Sociedades Anónimas Desportivas”, sendo que no decurso destas diligências “foi constituído um arguido”.

Neste inquérito, o Ministério Público do DCIAP é coadjuvado pela AT (Direção de Finanças de Braga) e conta com a estreita colação da PSP, sendo que, na execução destas buscas, participaram dez inspetores da AT e oito elementos da PSP.

Entre os arguidos da operação ‘Fora de Jogo’ contam-se “jogadores de futebol, agentes ou intermediários, advogados e dirigentes desportivos”, especificou, então, a Procuradoria-Geral da República (PGR), sublinhando que “em causa estão suspeitas da prática de factos suscetíveis de integrarem crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais”.

E acrescentou: “No inquérito investigam-se negócios do futebol profissional, efetuados a partir do ano de 2015, e que terão envolvido atuações destinadas a evitar o pagamento das prestações tributárias devidas ao Estado português, através da ocultação ou alteração de valores e outros atos inerentes a esses negócios com reflexo na determinação das mesmas prestações”.

Na altura, as SAD de Benfica, FC Porto, Sporting, Sporting de Braga e Vitória de Guimarães confirmaram a realização de buscas, atestando a disponibilidade para colaborarem com as autoridades.

Recomendadas

PremiumAbel bicampeão. Isto sim, não se voltará a ver nos próximos 50 anos

Daqui a 50 anos, vão lembrar-se que foi um português que conquistou a Libertadores”. Na véspera do último dia de 2019, Jorge Jesus era exultado pelo país futebolístico, levado “em ombros” por uma onda mediática de enormes proporções (horas e horas de diretos e peças jornalísticas).

Milhões da Champions, empréstimo obrigacionista e compra de dívida: que impacto nas contas do Sporting? Veja o “Jogo Económico”

O Sporting é, neste momento, o clube português que mais lucrou na Liga dos Campeões: 45,01 milhões de euros dos 130,9 milhões ganhos por clubes portugueses nesta Liga. Que impacto pode ter o empréstimo obrigacionista e a compra da dívida nas contas da SAD. Tudo para ver na edição desta semana do “Jogo Económico”.

14 Sports Law eleita melhor firma de direito desportivo na Península Ibérica

Empresa sediada no Porto representou, entre outros casos o Santos FC contra o FC Barcelona, na transferência do jogador Neymar Jr.
Comentários