PremiumMinistério Público deixa investigação ao “apagão fiscal” parada há 19 meses

“Intolerável”, diz a eurodeputada Ana Gomes, numa carta à Procuradoria-Geral da República, alertando que o inquérito a transferências de 10 mil milhões “não avançou absolutamente nada”.

O Ministério Público (MP) não deu seguimento à investigação ao caso dos 10.000 milhões de euros de transferências para offshores que não ficaram registados no sistema central da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) e que na sua larga maioria correspondem a fluxos enviados a partir do BES. A denúncia é da eurodeputada Ana Gomes, que diz estar “abalada e alarmada” no alerta dirigido, por carta, à procuradora-geral da República (PGR). A PGR confirmou ao Jornal Económico que recebeu a exposição de Ana Gomes, que “encontra-se em análise”, e dá conta que o inquérito ainda não tem  arguidos constituídos.

Na carta, a que o Jornal Económico teve acesso, Ana Gomes avisa Lucília Gago de que o inquérito, que está nas mãos do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa e é coadjuvado pela Polícia Judiciária (PJ), está parado há um ano e sete meses, depois de ter sido aberto em agosto de 2017. “A consulta que fiz ao processo permitiu constatar que desde a abertura do inquérito não se avançou absolutamente nada na investigação a cargo do DIAP”, lê-se na carta da eurodeputada, datada de 20 de março. A eurodeputada salienta mesmo que “o processo consta de sucessivas recusas de investigação por parte da PJ, por priorizar outras investigações, e correspondentes pedidos de prorrogação do inquérito por parte do Ministério Público”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

OE2019: Banco de Portugal obrigado a comunicar transferências para “offshores”

Com a alteração à Lei Geral Tributária, os bancos ficaram obrigados, a partir deste ano, a enviar essa informação até ao final de março, três meses mais cedo do que faziam até aqui.

Fisco investiga 256 portugueses suspeitos de ocultação em ‘offshores’

Autoridade Tributária e Aduaneira identificou mais de três centenas de portugueses nos escândalos Swissleaks, Panama Papers, Malta Files e Paradise Papers.
Recomendadas

Simulações. Sabe quanto vai descontar de IRS em 2020? Quem ganha até 659 euros mensais fica isento

O Governo publicou hoje as novas tabelas de retenção na fonte a aplicar aos rendimentos de trabalho dependentes e de pensões em 2020. Isenções para quem ganha até 659 euros por mês. Contribuintes solteiros, sem filhos, que ganhem até 685 euros brutos vão descontar menos 412 euros por ano. Veja aqui as simulações.

Bilionários acumulam mais riqueza que 60% da população mundial

A organização não-governamental Oxfam aponta que se os 1% mais ricos do mundo pagassem “apenas” mais 0,5% de impostos sobre o seu património ao longo dos próximos 10 anos este valor seria o necessário para criar 117 milhões de empregos em setores como a educação e a saúde em todo o mundo.

Taxa sobre produtos poluentes rendeu 200 milhões de euros em dois anos

O PAN vai solicitar que mais produtos (além dos atuais plásticos e cartões, óleos e pneus usados, embalagens de vidro…) sejam taxados no âmbito do ecovalor, como por exemplo as cápsulas de café e os colchões.
Comentários