Ministra do Mar: “Portugal não pode pescar a sardinha que não tem”

Os pescadores defendem que seja aplicada uma quota de pesca de sardinha de 15 mil toneladas para este ano: “Esses valores são impossíveis”, respondeu a ministra do Mar.

Cristina Bernardo

A pesca excessiva de sardinha no passado provocou a redução deste peixe. Como consequência, os pescadores portugueses não podem pescar tanta sardinha como no passado, alerta a ministra do Mar.

“Nós não podemos pescar a sardinha que não temos. A sobrepesca permitida durante alguns anos fez com que o stock baixasse”, disse Ana Paula Vitorino em entrevista à rádio Antena 1 esta quinta-feira, 16 de maio.

A suspensão de pesca da sardinha foi adiada ontem até 3 de junho, com o peixe mais simbólico de Portugal, a par do bacalhau, a chegar a tempo dos Santos Populares.

Segundo explicou a ministra, a pesca da sardinha este ano vai estar dividida em duas etapas. A primeira decorre durante o mês de junho. Terminada esta etapa, será avaliada qual a quantidade de pesca de sardinha que será permitida na segunda fase.

Ana Paula Vitorino explicou que ainda não está totalmente fechada a quota de pesca permitida para a primeira fase, com Portugal a ficar com dois terços da captura, e Espanha com um terço.

Para a primeira fase está afixada uma quota de pesca de cinco mil toneladas, “mas esses valores ainda não estão completamente fixados, poderão ter alterações”, afirmou.

Atualmente, existe uma proposta de 10.800 toneladas em cima da mesa, mas a ministra avisa que a Comissão Europeia é “muito exigente”.

“Os valores poderão estar um pouco acima do proposto pela Comissão Europeia, mas naturalmente que estará abaixo do que os pescadores gostariam e que nós também gostaríamos de autorizar”.

Os pescadores não têm dúvidas e defendem que seja aplicada uma quota de pesca de sardinha de 15 mil toneladas: “Esses valores são impossíveis”, respondeu a ministra do Mar.

Pesca da sardinha vai ser retomada a tempo dos Santos Populares

Ler mais

Relacionadas

Pesca da sardinha vai ser retomada a tempo dos Santos Populares

O Governo adiou para 03 de junho o reinício da pesca da sardinha, impondo para este ano proibições da pesca de sardinha pequena com tamanho comercial em algumas zonas, segundo o despacho publicado hoje em Diário da República.

Peixe comprado em lota atingiu valor mais alto de sempre

O valor médio do peixe vendido nas 22 lotas e 37 postos da Docapesca subiu 0,9% em 2018, em comparação com o ano anterior, atingindo 2,06 euros por quilo, o valor mais elevado desde que há registos.

Pescadores em Portugal são cada vez menos

Os baixos salários, as restrições à captura e a concorrência da náutica de recreio estão a fazer baixar o número de pescadores em Portugal, sobretudo no Algarve, região onde, desde 2001, o número caiu para metade.
Recomendadas

Ministra do Trabalho: apoio às empresas em ‘lay-off’ diferenciado em função da quebra de faturação

O apoio às empresas em ‘lay-off’ que retomarem a atividade será diferenciado em função da quebra de faturação, com vista a direcionar as ajudas públicas “a quem mais precisa”, afirmou a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, na terça-feira.

Infografia | Sintra e Lisboa lideram no número de novos casos diários

Sintra (45) e Lisboa (39) foram os dois concelhos a nível nacional que registaram mais novos casos confirmados de Covid-19 nas últimas 24 horas. Seguem-se a Amadora e Loures (ambos com 25 casos cada), seguidos por Odivelas (21).

CFP: Impacto de ajuda à TAP nas finanças públicas depende da forma de intervenção

A instituição presidida por Nazaré da Costa Cabral nota que entre os apoios com impacto na dívida pública e eventualmente no saldo orçamental está eventuais injeções de capital que o Estado português possa vir a ter de efetuar em empresas públicas ou participadas.
Comentários