Ministro cabo-verdiano Olavo Correia criticado por promover bebida alcoólica

“Não estamos de acordo com isso. Independentemente de ser parceiro da campanha, a lei, que vai entrar em vigor a 5 de outubro e que vai proibir todo o tipo de publicidade, é uma iniciativa do governo”, afirmou o coordenador da campanha “Menos Álcool Mais Vida” em Cabo Verde, Manuel Faustino.

O coordenador da campanha “Menos Álcool Mais Vida” em Cabo Verde, Manuel Faustino, criticou esta quarta-feira o ministro das Finanças cabo-verdiano, Olavo Correia, por ter feito promoção a uma marca de bebidas alcoólicas na sua página oficial de Facebook.

Questionado pela agência Lusa sobre essa promoção por parte do membro do executivo cabo-verdiano, Manuel Faustino disse que não concorda e que isso é um “paradoxo”, já que a nova lei é uma iniciativa do governo.

“Naturalmente, nós não estamos de acordo com isso. Independentemente de ser parceiro da campanha, a lei, que vai entrar em vigor a 5 de outubro e que vai proibir todo o tipo de publicidade, é uma iniciativa do governo”, afirmou o responsável.

Neste sentido, o também chefe da Casa Civil da Presidência da República disse que vai continuar a chamar a atenção sobre isso, caso for questionado. “Se formos solicitados vamos dizer isso, que não estamos de acordo, não vamos tomar iniciativa de dizer ‘isso não é coreto’, mas se isso me for colocado vou dizer ‘não concordo’, que não é positivo, é contraditório”, sustentou Manuel Faustino.

“A questão ultrapassa o governo, é um problema muito sério de saúde pública, que diz respeito às pessoas, e, ou as pessoas assumem as suas responsabilidades ou não, e quem não assume, a gente tem que dizer isso”, acrescentou Faustino à Lusa.

A referência, acompanhada de fotos de garrafas da bebida e dos donos da empresa, foi feita pelo também vice-primeiro-ministro cabo-verdiano em 23 de Agosto, após visitar a unidade de produção.

Segundo Olavo Correia, a fábrica tem uma “potencialidade enorme” e “tudo para ser uma grande marca e um selo de qualidade de produtos made in Cabo Verde no mundo”.

Na página, onde publicita praticamente todas as atividades do seu Ministério, o governante disse que o Governo quer “ajudar a valorizar e engrandecer grandes marcas” e garantiu que referida marca de bebidas alcoólicas “contará com todo o apoio” do Executivo.

A promoção foi feita numa altura em que a Presidência da República de Cabo Verde tem em marcha uma campanha denominada “Menos Álcool, Mais Vida”, de prevenção do consumo abusivo do álcool e do alcoolismo.

O governo de Cabo Verde é parceiro da campanha, através dos Ministérios da Saúde e da Segurança Social, da Educação e da Família Inclusão Social.

No próximo dia 5 de outubro vai entrar em vigor uma nova lei que regula a venda, a publicidade e o consumo de bebidas alcoólicas no país, que em Janeiro foi aprovada por unanimidade no parlamento do país.

Manuel Faustino disse ainda que a Câmara Municipal da Praia deveria ter “outra posição”, já que, tal como outras, a publicidade da mesma bebida alcoólica está espalhada em ‘outdoors’ pelas ruas da capital cabo-verdiana.

Ler mais
Recomendadas

União Europeia desafia Cabo Verde a incluir dimensão de género nos compromissos futuros

A embaixadora da União Europeia em Cabo Verde lembrou que o programa OGP tem um financiamento de oito milhões de euros e é “uma iniciativa importante na cooperação bilateral” entre o bloco europeu e o país africano.

Portugal e Cabo Verde querem combate ao racismo “todos os dias” com serenidade e inteligência

Marcelo Rebelo de Sousa defendeu um combate “pela positiva” a manifestações racistas e discriminatórias.

Cabo Verde lidera entre centena de deportados dos PALOP pelos Estados Unidos

O número de cabo-verdianos deportados, por vários motivos, mas sobretudo imigração ilegal, desceu no ano passado para 50, face aos 68 de 2018.
Comentários