Moody’s: Venda do Projeto Nata 2 é um “marco importante no plano de reestruturação do Novo Banco”

A agência de notação financeira considera que a venda de carteira de crédito malparado vai ter um impacto positivo no rating do banco.

Cristina Bernardo

A Moody’s considera que a venda da carteira de crédito malparado com o nome de Projeto Nata 2 tem um efeito positivo no rating do Novo Banco.

A operação tem um efeito positivo no rating do Novo Banco “porque vai melhorar as suas métricas muito fracas de risco de ativos”, disse a agência de notação financeira numa nota divulgada esta quarta-feira, 11 de setembro.

O Novo Banco anunciou a 5 de setembro o encaixe de 191 milhões de euros com a venda desta carteira de crédito malparado e ativos. A carteira foi comprada pela Burlington Loan Management, uma sociedade afiliada e aconselhada pela Davidson Kemper European Partners.

Sobre o impacto negativo de 106 milhões de euros nas suas contas, a Moody’s considera que a operação é importante. “Apesar deste efeito negativo não-recorrente, a conclusão da venda do crédito mal parado é um marco importante no plano de reestruturação do Novo Banco”.

O projeto Nata 2 tinha um valor original de 2.732 milhões de euros e um valor bruto contabilístico de 1.713 milhões de euros. Esta carteira inclui os créditos da Sogema, de Bernardo Moniz da Maia, e da Ongoing, de Nuno Vasconcellos.

A Moody’s também alcançam dois acordos alcançados pelo banco presidido por António Ramalho. O acordo alcançado entre o Novo Banco e a Cerberus Capital Management para vender um portefólio de ativos imobiliários com um valor contabilístico de 488 milhões de euros; o acordo de compra e venda alcançado pela Waterfall Asset Management para vender de um portefólio de ativos problemáticos (NPA) – crédito malparado e imóveis – por 308 milhões de euros.

A agência conclui que a concretização destes acordos “serão essenciais para aliviar os contínuos desafios de solvência do Novo Banco que derivam do seu stock elevado de NPA”, isto é, de ativos problemáticos.

Ler mais
Relacionadas

Nata2: Novo Banco retira 10 créditos de mais de 300 milhões para vender à parte

Venda do Nata 2 provoca perdas de 106 milhões de euros ao Novo Banco, mas aumenta o capital e reduz o rácio de NPL. O desconto da carteira na venda ronda os 89% face ao valor contabilístico bruto.

Novo Banco encaixa 191 milhões com venda de carteira de crédito malparado

O projeto Nata 2 tem um valor original de 2.732 milhões de euros e um valor bruto contabilístico de 1.713 milhões de euros. Esta carteira inclui os créditos da Sogema, de Bernardo Moniz da Maia, e da Ongoing, de Nuno Vasconcellos.
Recomendadas

Bankinter e COSEC assinam protocolo de distribuição de seguro de créditos

O objetivo é permitir às empresas a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro.

BdP: empréstimos às empresas cresceram em outubro

Já quanto aos empréstimos a particulares, o BdP diz ter registado uma variação de 6,9% em outubro, quando em setembro registara uma taxa de variação de 7,2%.

BCE mantém as exigências de capital ao BPI para 2020

Aí estão os requisitos de capital que o BCE impõe ao BPI para 2020 em função da qualidade do seu balanço. Estes requisitos implicam que o patamar mínimo de CET1 a partir do qual o Banco BPI teria restrições, em 2020, às distribuições de dividendos, é de 9.38%. O BPI tem um rácio de capital core de 12,7% a 30 de setembro deste ano.
Comentários