Morreu Pedro Romano, analista do Jornal Económico

O ex-jornalista, consultor e analista económico Pedro Romano faleceu esta quinta-feira em Braga, onde residia, segundo fonte próxima da família. Pedro Romano completava 32 anos este mês. A causa da morte ainda não é conhecida. Licenciado e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, Pedro Romano iniciou a sua carreira no jornalismo económico […]

O ex-jornalista, consultor e analista económico Pedro Romano faleceu esta quinta-feira em Braga, onde residia, segundo fonte próxima da família. Pedro Romano completava 32 anos este mês. A causa da morte ainda não é conhecida.

Licenciado e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, Pedro Romano iniciou a sua carreira no jornalismo económico em 2008, tendo sido jornalista do “Diário Económico” e do “Jornal de Negócios”, especializando-se na área de macroeconomia. Foi também assessor económico do Grupo Parlamentar do CDS e da Fundação Francisco Manuel dos Santos, entre outras entidades. Atualmente trabalhava como consultor e, embora estivesse afastado do jornalismo, era colaborador permanente do Jornal Económico, assinando semanalmente a coluna “Radar Económico”. Alimentava também o blogue Desvio Colossal.

A profundidade da sua análise, juntamente com a fineza e a lucidez dos seus raciocínios, faziam de Pedro Romano um dos mais brilhantes e promissores analistas económicos em Portugal. E o seu sentido de humor apurado vai fazer muita falta a todos aqueles que tiveram o privilégio de o conhecer e de trabalhar com ele.

O Jornal Económico apresenta as mais sinceras condolências à família e aos amigos do Pedro. A sua falta será sentida por todos nós.

Recomendadas

Floresta diversificada resiste melhor a fogos e secas, revela estudo

Investigadores liderados pelo biólogo William Anderegg, da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, concluíram que uma floresta com uma grande variedade de árvores e de características diversas relacionadas com o fluxo da água sofre menos com os períodos de seca.

Superbrands: há uma marca portuguesa entre as 10 preferidas pelos consumidores

Dentro dos setores avaliados, aqueles mais relevantes são os de motores, eletrónica e moda de consumo, superfícies comerciais e desporto.

Prozis Tech Maia vai representar investimento superior a 15 milhões de euros

Já está em curso o processo de recrutamento para a entrada imediata de 300 colaboradores, sobretudo nas áreas da programação e dos sistemas informáticos.
Comentários