“Muitos cabo-verdianos vêm para a Alemanha porque o mercado de trabalho é excelente”

O Presidente de Cabo Verde chega à Alemanha esta sexta-feira. Em declarações à agência Lusa, Jaqueline Ferreira Pires sublinhou que a passagem de Jorge Carlos Fonseca pelo país é “uma oportunidade para reforçar o diálogo político entre os dois países, os laços de amizade e cooperação.”

A embaixadora da República de Cabo Verde na Alemanha afirma que o “excelente” mercado de trabalho alemão é cada vez mais atrativo e a cooperação entre os dois países “tem vindo a crescer”. Em declarações à agência Lusa, Jaqueline Ferreira Pires sublinhou que a passagem de Jorge Carlos Fonseca pela Alemanha é “uma oportunidade para reforçar o diálogo político entre os dois países, os laços de amizade e cooperação.”

A comunidade cabo-verdiana na Alemanha, composta por 1.100 a 1.200 pessoas, concentra-se principalmente no norte do país, nas cidades de Hamburgo, Bremen e Bremerhaven. A embaixadora acredita que o número pode estar a aumentar.

“Muitos cabo-verdianos entram no país com outras nacionalidades porque estão estabelecidos noutros países europeus. Vêm para a Alemanha porque o mercado de trabalho é excelente. Muitas vezes não demandam os serviços da embaixada porque não entram como cabo verdianos. Mas estou convencida que o número está a aumentar”, revelou.

A embaixadora de Cabo Verde na Alemanha realça a boa relação de “amizade e cooperação” entre os dois países “desde os primórdios da independência”, acrescentando que há “espaço” para que a cooperação se desenvolva.

“Acho que tem vindo a crescer e temos sinais que nos indicam que há espaço para que isso continue a acontecer. O trabalho de diplomata é um trabalho de ‘formiga’, vai-se construindo todos os dias para que, no futuro, possam ser colhidos bons frutos”, explica, dando o exemplo bem-sucedido do turismo.

“Existe investimento alemão em Cabo Verde. A ‘TUI’, uma das maiores operadoras turísticas mundiais, está em Cabo Verde. Isso contribuiu bastante para que a Alemanha constitua o segundo mercado emissor de turistas para Cabo Verde. Existem outros projetos mais pontuais, mas esta visita tem também o objetivo de apresentar o país e as oportunidades de investimento para ver se conseguimos reforçar esta parceria económica entre os dois países”, indicou.

Além do turismo, há outras áreas de interesse, como as energias renováveis, os portos, “tudo o que está relacionado com o mar e com os serviços ligados ao mar”, adiantou a diplomata. Como objetivo, Jaqueline Ferreira Pires definiu o “reforço da promoção económica do país e o diálogo político”, duas questões complementares, referiu, mas que devem ser trabalhadas.

O Presidente de Cabo Verde chegou à Alemanha esta sexta-feira. Para este dia estão previstos uma visita ao porto de Hamburgo e um encontro com o presidente do Senado e Primeiro Perfeito da Cidade, Peter Tschentscher, entre outros. Da agenda de sábado, fazem parte um encontro com o ministro presidente do Estado de Schleswig-Holstein, Daniel Günther e um encontro com a comunidade cabo-verdiana. Na segunda-feira, Jorge Carlos Fonseca deverá sentar-se com o presidente do Bundestag, Wolfgang Schäuble, e o homólogo Frank-Walter Steinmeier. Discursará também no fórum sobre Negócios e Oportunidades de Investimento em Cabo Verde. A visita termina na segunda-feira, ao final da tarde. A última visita de um chefe de Estado cabo-verdiano foi há exatamente dez anos.

Ler mais
Recomendadas

União Europeia financia segurança documental em Cabo Verde e Guiné-Bissau

O acordo facilita registos civis, emissão de documentos de viagem, passaportes e documentos de identificação entre os cidadãos dos dois países.

Acordo de modalidade da CPLP só será finalizado em novembro

“A comissão técnica deve apresentar o texto final aos ministros dos Negócios Estrangeiros, na sessão extraordinária do Conselho de Ministros da CPLP, previsto para janeiro de 2020, em Cabo Verde”, disse Luís Filipe Tavares.

Centro de Língua Portuguesa Camões inaugurado amanhã em Mindelo

O centro de língua portuguesa localizado em Cabo Verde integra uma rede de mais de 70, presentes em 43 países, e é financiado pelo Instituto Camões.
Comentários