“Music Relief”. Spotify quer angariar fundos para artistas

A plataforma de música por ‘streaming’ criou um projeto para doações a instituições de caridade e está a trabalhar para que os artistas consigam arranjar fundos diretamente dos fãs.

A pandemia levou ao cancelamento de eventos culturais, como concertos ou musicais. Em Portugal foram vários os artistas que optaram por ‘dar música’ a todas as casas com espetáculos online para assistir no sofá.

Nesta onda de solidariedade, a Spotify anunciou esta quarta-feira que lançou um projeto para angariar fundos para todos os músicos chamado “Music Relief”. Além de doar fundos para instituições de caridade ligadas à cultura, a empresa vai agregar o dinheiro doado pelo público até 10 milhões de dólares (cerca de 9,3 milhões de euros).

“Em momentos de grande desafio, a música ajuda-nos a ficar melhor. Mas agora, milhares de profissionais criativos da indústria da música precisam da nossa ajuda. Enquanto o streaming ainda oferece aos artistas uma maneira de se ligar aos fãs, muitas outras fontes de receita foram suspensas por esta crise”, explica a Spotify.

O objetivo é, como o próprio nome indica, “aliviar” o impacto económico que a Covid-19 – que já causou mais de 18 mil vítimas mortais e infetou cerca de 421 mil em todo o mundo – causou neste setor. A plataforma de música por streaming adianta que está a trabalhar também para que os artistas possam angariar fundos diretamente do seus fãs, para si ou para outros colegas.

Ler mais
Recomendadas

Boom Festival adiado para 2021

A venda de bilhetes para a edição de 2020 esgotou em pouco mais de duas horas, aproximadamente 50 mil pessoas provenientes de 175 países diferentes garantiram bilhete para a edição agora agendada para 2021.

EDP e Novo Banco contribuem para o movimento apoiado pelo Governo para ajudar a cultura

A plataforma de colaboração entre artistas, marcas empresas públicas e privadas, resulta de uma iniciativa da OutSystems para combater a pandemia– o Covid-19 Community Response Program. A iniciativa é apadrinhada pelo Ministério da Cultura e pretende ajudar a salvar a cultura numa altura em que todos os eventos culturais foram cancelados devido ao Estado de Emergência.

BCP junta-se ao Movimento Portugal #EntraEmCena para salvar a cultura da crise da Covid-19

No global, este movimento representa, um investimento de mais de um milhão de euros, através desta plataforma, em projetos que não poderão ultrapassar, cada um, os 20 mil euros. O BCP junta-se assim a entidades como a Altice, BPI, CGD, Centro Cultural de Belém, EDP, Fidelidade, Montepio, entre outros para que o Covid-19 não acabe de vez com a cultura.
Comentários