Premium“Na Madeira constrói-se bem”

O diretor comecial e de marketing da Hydro Portugal aponta a necessidade de a Madeira investir na criação de unidades hoteleiras certificadas.

Orlando Sampaio é diretor comercial e de marketing da Hydro Portugal, uma empresa que desenvolve o suporte em alumínio para vidros e janelas, e elogia a capacidade arquitetónica e de engenharia na Madeira. A multinacional está presente em todos os continentes, em mais de 40 países, com uma faturação global de 12 biliões de dólares, empregando cerca de 35 mil pessoas em todo o mundo.

“Na Madeira constrói-se bem, ao contrário daquilo que se possa pensar. A Madeira tem um processo de engenharia muito bom, tem um processo de arquitetura muito bom e em termos de escolha de materiais está muito acima da média do que se pratica no continente”, afirma.

O diretor comercial e de marketing realça que os produtos desenvolvidos pela Hydro Portugal têm uma garantia de 20 anos, enquanto outras empresas não conseguem fazer o mesmo. “Ninguém dá garantias de 20 anos, as garantias que se dão são de dois ou de cinco anos. Há produtos em que nós conseguimos fazer isso, porque fazemos os produtos para durarem muito tempo”, sublinha. Como os produtos são muito duradouros, a empresa depois não tem um ciclo muito rentável, refere o diretor comercial, acrescentando que o habitual é reformarem-se as casas e os hotéis com obras e pinturas, enquanto as janelas permanecem as mesmas. “Mas nós também fazemos por isso”, realça.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor. Edição do Económico Madeira de 8 de novembro

Recomendadas

PremiumFuturo chegou mais cedo e acelerou a transição digital

As seis conferências do ciclo JE/Huawei permitiram debater o papel da tecnologia na retoma da economia e o seu potencial em áreas como Educação, Saúde, Indústria, Sustentabilidade e Media.

PremiumMecenas financiam projeto de formação de sete milhões de euros

Banco Santander, Vanguard Properties, empresária Ming C. Hsu, Amaral y Hijas, bi4all, família Alves Ribeiro e Fundação José Neves são doadores, revela Pedro Santa Clara, Diretor da 42 ao Jornal Económico.

PremiumNuno Moreira: “Os projetos do ‘hidrogénio verde’ não são megalómanos”

O presidente executivo da Dourogás diz que a dimensão dos projetos de ‘hidrogénio verde’ é adequada às condições de mercado de Portugal e que, a curto prazo, o preço deste combustível tenderá a aproximar-se ao preço do gás natural.
Comentários