“Nada disto faz sentido”. Rui Rio condena inclusão de António Costa na lista de Luís Filipe Vieira

O líder do PSD defende que quem desempenha cargos políticos no Governo deve abster-se de tomar posição e recorda que a mistura entre política e futebol profissional tem levado até a “problemas judiciais”.

Mário Cruz/Lusa

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio, considera que a inclusão do primeiro-ministro, António Costa, na comissão de recandidatura de Luís Filipe Vieira à presidência do Benfica “não faz sentido”. O líder do PSD defende que quem desempenha cargos políticos no Governo deve abster-se de tomar posição e recorda que a mistura entre política e futebol profissional tem levado até a “problemas judiciais”.

“Sempre achei mal a mistura entre a política e o futebol profissional. No passado combati isso e afastei-me. Hoje até há problemas de ordem judicial metidos nisso”, afirmou Rui Rio, em conferência de imprensa, à saída da primeira reunião do Conselho Consultivo do Conselho Estratégico Nacional do PSD, em Coimbra.

E acrescentou: “O futebol é sobretudo emoção e a política tem uma componente de emoção, porque somos todos homens e mulheres, mas acima de tudo tem de ter racionalidade e não deve ditada por motivos de ordem emocional ou por motivo de simpatia clubística. Nada disto faz sentido. O ideal é quando estamos em cargos políticos no Governo devemos abster-nos [de tomar uma posição]”.

A presença de António Costa na comissão de honra de recandidatura de Luís Filipe Vieira à presidência do Benfica foi noticiada este sábado pelo jornal “Expresso”.

Além de António Costa, a comissão de honra inclui também o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, e mais de 500 nomes de várias áreas e quadrantes políticos: o ex-ministro da Administração Interna do PS, Rui Pereira; o deputado do PSD, Duarte Pacheco; o deputado do CDS-PP, Telmo Correia; o presidente do Câmara Municipal do Seixal pela CDU, Joaquim Santos; António Saraiva, presidente da Confederação Empresarial de Portugal.

Recomendadas

Parlamento discute hoje e vota referendo sobre a eutanásia na sexta-feira

O parlamento discute hoje e vota na sexta-feira uma proposta de referendo sobre a eutanásia, que divide direita e esquerda, mas em que há um bloco maioritário para a “chumbar”, do PS, BE, PCP, PAN e PEV.

OE2021: Federação sindical pediu alterações ao BE e ao PS

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) pediu hoje aos deputados do Bloco de Esquerda e do Partido Socialista que proponham alterações ao Orçamento do Estado (OE) para 2021 que respondam às reivindicações dos funcionários públicos.

Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus na AR para dois por semestre

O Presidente da República promulgou hoje o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por semestre.
Comentários