“Não há nenhuma ponte que seja segura”, afirma especialista em engenharia de estruturas

Fernando Branco, professor catedrático do Departamento de Engenharia Civil do Instituto Superior Técnico e presidente da International Association for Bridge and Structural Engineering, explica ao “Expresso” que “todos os materiais se degradam devido à ação do ambiente”.

O presidente da International Association for Bridge and Structural Engineering, a mais antiga associação científica mundial de engenharia de estruturas, afirma que “todas as pontes são feitas para cair se não se fizer manutenção”.

Em entrevista ao “Expresso”, Fernando Branco, professor catedrático do Departamento de Engenharia Civil do Instituto Superior Técnico (IST), explica que “todos os materiais se degradam devido à ação do ambiente”, pelo que é uma manutenção regular é importante mestas infraestruturas.

“No fundo, não há nenhuma ponte que seja segura”, disse o docente ao semanário. Em relação ao colapso do viaduto na cidade italiana de Génova, Fernando Branco tem poucas dúvidas: “Quase de certeza que foi um problema num dos tirantes”.

Questionado sobre como é que o betão se degrada, o o coordenador da Secção de Construção do Departamento de Engenharia Civil do IST refere que há dois motivos principais que explicam a detioração: a carbonatação e o efeito dos cloretos, como o sal marítimo. “Quando é fabricado, o betão tem um pH básico, mas em contacto com o dióxido de carbono ambiental e com a humidade vai-se transformando de básico em pH ácido e gera uma frente que vai avançando pelo betão dentro. E quando esta frente ácida chega aos ferros, estes começam a corroer”, explicou.

Relacionadas

Número de mortos na queda da ponte em Génova sobe para 41

Segundo os meios de comunicação locais, os corpos têm que ser ainda identificados, mas acredita-se que possa ser a família Cecala, da qual não havia notícias desde a passada terça-feira, quando um troço de cerca de 100 metros da ponte Morandi ruiu.

Respostas Rápidas: o que se sabe sobre a tragédia de Génova?

O balanço mais recente desta tragédia regista 39 mortos e 16 feridos, 12 dos quais em estado grave. Entre as vítimas mortais há três crianças, com idades compreendidas entre os 8 e os 12 anos
Recomendadas

Negócios no ‘Little Portugal’ de Londres começam a desconfinar

Com a nova fase de desconfinamento em Inglaterra, os cabeleireiros reabriram hoje e o português Miguel Horta já tem as próximas seis semanas lotadas no seu salão em Londres.

Cinco anos do Acordo de Paris: Metas ainda continuam muito distantes

O ponto de vista das empresas (no caso, a Eaton) e não apenas da política é um dado importante, uma vez que revela o engajamento dos privados à estratégia global do Acordo de Paris.

Israel: Netanyahu afirma que “não vamos deixar o Irão ter armas nucleares”

Não podia ser dito de forma mais clara: Israel vai continuar a boicotar por todos os meios qualquer tentativa de construção de armas nucleares por parte do Irão. Secretário da Defesa dos Estados Unidos leva esse ‘recado’ para a Casa Branca.
Comentários