Premium“Não prevemos um agravamento significativo do malparado com o fim das moratórias”, refere CEO do Santander Totta

O Santander Totta apresentou resultados no semestre de 81,4 milhões, a recuarem 53%. CEO explica como irá subir a rentabilidade, que é de 3,5%.

Em declarações ao Jornal Económico (JE), Pedro Castro e Almeida, CEO do Santander Portugal, disse que não está “a prever um agravamento muito significativo por força do fim das moratórias, mas estamos atentos aos sectores da economia mais expostos à situação pandémica”, estando o banco “disponível para apoiar esses clientes neste momento de maior dificuldade”.

O banco reportou nas contas do semestre um rácio de non-performing exposure (NPE) de 2,5% que é um dos melhores do mercado. “A qualidade creditícia permanece sólida, materializada numa redução do rácio de NPE para 2,5% em comparação com 2,8% em junho de 2020”, destaca. Ainda assim, o Santander tem no mercado a venda de duas carteiras de NPL, denominadas Pool 54 & 55, no valor de 90 milhões de euros. O banco não quis comentar.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumAviso para Costa a um mês do Orçamento: é imperativo controlar a despesa pública

O Conselho das Finanças Públicas reviu em alta o crescimento económico, alerta para os riscos que Novo Banco e TAP representam para as contas públicas e deixa recado a Costa a um mês do Orçamento do Estado.

PremiumCrescimento dos depósitos das empresas ‘amortece’ fim das moratórias

Banca recebeu indicações para encontrar soluções caso a caso. Muitas empresas utilizaram apoios para constituir depósitos.

Quais são os principais desafios das finanças públicas em Portugal?

O principal desafio das finanças públicas em Portugal continua a ser a sua sustentabilidade. Primeiro, voltando a controlar o défice orçamental; depois, reduzindo a dívida pública. Subjacente, em todos os comentários, a necessidade de maior crescimento económico, o tema do primeiro desafio, o da competitividade, abordado nas páginas anteriores.
Comentários