Navigator dispensa Moody’s e S&P

A justificação para dispensar as agências que classificam o risco do emitente radica no processo de reestruturação da dívida.

A Navigator veio ao mercado anunciar que decidiu que não se justificava manter a notação de rating atribuída pela agências Standard & Poors e Moody’s e os custos associados.

A justificação para dispensar as agências de rating radica no processo de reestruturação da dívida.

A papeleira esclareceu que não se justifica manter o contrato com as agências que classificam o risco dos títulos de dívida da empresa, dado o processo de reestruturação da sua dívida financeira levado a cabo nos últimos anos, e que resultou no reembolso em 2015 e 2016 das obrigações Portucel Senior Notes 5.375%, com vencimento em 2020, que haviam sido colocadas em mercado, e na contratação de novos financiamentos junto da banca nacional e internacional, com significativa redução de custos e extensão de maturidades, reestruturação que teve novo desenvolvimento no início de 2019.

Recomendadas

Fitch mantém rating da dívida sénior de longo prazo da CGD

A Fitch manteve o ‘rating’ da dívida sénior de longo prazo da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e reduziu a perspetiva de estável para negativa devido ao impacto da pandemia covid-19, segundo comunicado do banco ao mercado.

Prio investe no fornecimento de energia elétrica 100% renovável

A empresa afirma que a decisão surge na sequência dos investimentos já realizados e a realizar até 2025. E vai expandir a sua rede de postos de abastecimento dos atuais 190 para os 300.

Comissões bancárias representaram 33% do produto bancário em 2019

Em 2019, os resultados de serviços e comissões foram de 2.212 milhões de euros, o que representou 32,5% do produto bancário (6.808 milhões de euros), acima do peso de 30,3% do produto bancário registado em 2018, segundo a APB.
Comentários