Navigator dispensa Moody’s e S&P

A justificação para dispensar as agências que classificam o risco do emitente radica no processo de reestruturação da dívida.

A Navigator veio ao mercado anunciar que decidiu que não se justificava manter a notação de rating atribuída pela agências Standard & Poors e Moody’s e os custos associados.

A justificação para dispensar as agências de rating radica no processo de reestruturação da dívida.

A papeleira esclareceu que não se justifica manter o contrato com as agências que classificam o risco dos títulos de dívida da empresa, dado o processo de reestruturação da sua dívida financeira levado a cabo nos últimos anos, e que resultou no reembolso em 2015 e 2016 das obrigações Portucel Senior Notes 5.375%, com vencimento em 2020, que haviam sido colocadas em mercado, e na contratação de novos financiamentos junto da banca nacional e internacional, com significativa redução de custos e extensão de maturidades, reestruturação que teve novo desenvolvimento no início de 2019.

Recomendadas

PremiumAjustes na legislação laboral para teletrabalho

A crise de saúde pública trouxe a necessidade de novas formas e organização de trabalho, em que a imposição do teletrabalho foi a mais notória.

Seis startups e IPSS vencem prémios “Mais Ajuda”

Pixelability – Happies, Speak e The Inventors foram as empresas escolhidas. Quanto às instituições de solidariedade social, conquistaram o júri os projetos da Acreditar, Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas e Associação de Socorros Mútuos Mutualista Covilhanense.

Maioria das empresas portuguesas está sem modelos de ERM

Falar em “enterprise risk management” ainda é um problema para muitos gestores em Portugal. Antecipar cenários é uma ajuda ímpar porque identificam riscos e preveem impactos.
Comentários