Navigator dispensa Moody’s e S&P

A justificação para dispensar as agências que classificam o risco do emitente radica no processo de reestruturação da dívida.

A Navigator veio ao mercado anunciar que decidiu que não se justificava manter a notação de rating atribuída pela agências Standard & Poors e Moody’s e os custos associados.

A justificação para dispensar as agências de rating radica no processo de reestruturação da dívida.

A papeleira esclareceu que não se justifica manter o contrato com as agências que classificam o risco dos títulos de dívida da empresa, dado o processo de reestruturação da sua dívida financeira levado a cabo nos últimos anos, e que resultou no reembolso em 2015 e 2016 das obrigações Portucel Senior Notes 5.375%, com vencimento em 2020, que haviam sido colocadas em mercado, e na contratação de novos financiamentos junto da banca nacional e internacional, com significativa redução de custos e extensão de maturidades, reestruturação que teve novo desenvolvimento no início de 2019.

Recomendadas

Infraestruturas de Portugal lança concurso público para requalificação do Túnel do Grilo

A verba estimada para esta obra é de 10 milhões de euros, que será destinada para a requalificação da infraestrutura e dos sistemas de segurança do Túnel do Grilo, localizado no lanço Olival de Basto / Sacavém do IC17 – CRIL, em Lisboa.

Tobias C. Pross é o novo CEO da Allianz Global Investors

Tobias C. Pross era até então diretor global de distribuição e trabalha há mais de 20 anos no grupo. Deborah Zurkow sobe a diretora global de investimentos, cargo até então exercido também por Andreas Utermann.

Novo crédito à habitação em setembro soma 915 milhões de euros, diz Banco de Portugal

Em setembro os volumes de novas operações para habitação, consumo e outros fins totalizaram 915, 462 e 284 milhões de euros, respetivamente, avança ao Banco de Portugal.
Comentários